Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2017
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Advogado negro barrado em bar para não ser "confundido com o segurança"

Gravata e camisa pretas foram apontadas como a causa da proibição. Juliano Trevisan usou o Facebook para denunciar o que diz ser um ato de discriminação.

Advogado negro barrado em bar para não ser "confundido com o segurança"
Notícias ao Minuto

13:53 - 17/07/17 por Notícias Ao Minuto

Mundo Brasil

Um homem brasileiro, de ascendência africana, foi barrado à porta de um bar em Curitiba, no Brasil, por ser demasiado parecido com os seguranças.

Numa publicação no Facebook, o advogado expôs a situação por que passou e relatou o que considera um ato discriminatório. A publicação acabou por se tornar viral e por expor o que Juliano Trevisan diz ser um preconceito.

O homem de 27 anos foi impedido de entrar no James Bar por dois funcionários, que justificaram a proibição dizendo que “com a roupa que estava a usar, gravata preta e tal, poderia ser confundido com segurança lá dentro”. A indumentária escolhida para a noite é a que surge na imagem abaixo.

No seu perfil na rede social, o visado fez a denúncia através de uma carta aberta. “Sinto-me humilhado. Olhei mil vezes para a minha roupa até perceber que o problema não é a minha roupa, não é o meu estilo, não sou eu”, escreveu na publicação, que alcançou mais de nove mil gostos e mil partilhas.

“Preciso de expor esta situação, de demonstrar quão grave é e o que representa nos dias de hoje. Para que um problema seja resolvido, primeiro tem de ser apontado”, explicou Juliano Trevisan, que recebeu desde então centenas de mensagens de apoio.

Seja sempre o primeiro a saber. Acompanhe o site eleito pela Escolha do Consumidor 2017.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório