Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 21º

Abertas assembleias de voto para as legislativas antecipadas no Kosovo

As urnas abriram hoje às 07:00 (06:00 em Lisboa) no Kosovo para as legislativas antecipadas, num contexto de crise económica, instabilidade política crónica e debate sobre as relações com a Sérvia devido à independência não reconhecida por Belgrado.

Abertas assembleias de voto para as legislativas antecipadas no Kosovo
Notícias ao Minuto

08:55 - 11/06/17 por Lusa

Mundo Belgrado

Perto de 1,8 milhões de eleitores são chamados a eleger, entre as cinco coligações, 19 partidos e duas iniciativas cívicas, 120 deputados do parlamento, onde estão ainda reservados 20 lugares para as minorias, em particular para os representantes dos sérvios do Kosovo que decidiram permanecer no território após a independência.

As assembleias de voto encerram às 19:00 (18:00 em Lisboa), sendo esperada a divulgação dos primeiros resultados preliminares poucas horas depois.

Milhares de observadores nacionais e estrangeiros, incluindo da União Europeia, monitorizam aquelas que são as terceiras eleições legislativas e as segundas antecipadas desde a independência do Kosovo em 2008.

Apesar de ainda não ser membro da ONU, o Kosovo, com maioria de população albanesa e cerca de 11.000 quilómetros quadrados (um terço da superfície do Alentejo), já constitui na prática um Estado independente, com soberania reconhecida por 114 países, incluindo os Estados Unidos e a maioria dos países da União Europeia.

No entanto, e para além da Sérvia, que ainda reivindica esta ex-província do sul, países como a Rússia e China, com direito de veto na ONU e cinco Estados-membros da UE, incluindo a Espanha, recusaram reconhecer a independência.

As legislativas de hoje foram motivadas por uma moção de censura que derrubou o governo formado pela Liga Democrática do Kosovo (LDK) e Partido Democrático do Kosovo (PDK), apresentada por três partidos da oposição que denunciaram a paralisia do executivo e a ausência de soluções para os persistentes problemas sociais e económicos, tendo o LDK acabado por aderir a esta iniciativa da oposição.

As sondagens apontam para a vitória da coligação formada pelo PDK, AAK (Aliança para o Futuro do Kosovo) e Nisma, três partidos com origem na guerrilha separatista que lutou contra a Sérvia para obter a independência.

Esta coligação, já designada "ala bélica", está creditada com 41% dos votos.

A coligação moderada, encabeçada pela conservadora LDK e outros dois partidos, surge na segunda posição com 30% das preferências.

Na terceira posição, com 19,5%, deverá surgir a ultranacionalista Vetevendosje (Autodeterminação), que se opõe a qualquer negociação com a Sérvia e aspira à unificação do Kosovo com a Albânia.

Os analistas consideram que este partido será decisivo para a formação do novo governo.

Um dos principais desafios do futuro executivo, e herdado dos anteriores, será o prosseguimento das difíceis negociações com a Sérvia, mediadas pela UE, e que até ao momento não registaram resultados significativos.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório