"PS está em alta, mas portugueses devem muito a Passos Coelho"

Joaquim Jorge defende que convém não esquecer que foi PSD e CDS que tiraram o país da bancarrota.

© Joaquim Jorge
Mundo Joaquim Jorge

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, faz uma análise do panorama político atual, relembrando a importância do governo anterior. Este Governo tem demonstrado que é possível "trabalhar com outros partidos de Esquerda", reconhece, fazendo, porém, questão de recordar o papel do anterior governo no país no panorama atual.

PUB

"O PS está em alta mas não nos podemos esquecer que quem tirou o país da bancarrota foi o PSD com o CDS", afirma, frisando que, "por vezes, em política a falta de memória atraiçoa-nos e há tendência para que tudo que está para trás não conta".

Na opinião do biólogo, salvo o "senão" de ter tentado ir além da troika, "os portugueses devem muito a Pedro Passos Coelho".

Mas mesmo com tantas medidas impopulares, salienta, "os portugueses deram-lhe a vitória: o PSD em 2015 venceu as eleições legislativas e teve o maior número de deputados 89, ao invés o PS teve 86".

Por outro lado, analisa Joaquim Jorge, António Costa, ao perder as eleições e depois de alguns problemas internos pela sucessão com António José Seguro, procurou um acordo à Esquerda como "única saída para a sua sobrevivência política". Porque, crê, de outro modo, duraria pouco tempo na oposição.

"A sua arte e engenho foi arquitectar um plano do PS com o BE e o PCP", constata, e "isso está a funcionar para o país e para a liderança do PS".

Joaquim Jorge diz não pretender "retirar mérito" ao atual Governo que criou um "ambiente distendido e de melhoria de confiança nos portugueses". Mas, reforça que convém pensar que os problemas existem e estão lá - défice, dívida pública, etc. "Não desaparecerem por obra e graça do Espírito Santo". E por isso, considera, seria uma "desonestidade inteletual" não reconhecer o esforço e a capacidade de tirar o país da bancarrota "levada a cabo pelo governo de Pedro Passos Coelho".

Joaquim Jorge defende que este Governo deveria reconhecer o que fez o anterior governo, para agora poder fazer o que faz. "O esquecimento é um fenómeno normal, por vezes, dá jeito", nota, sublinhando que passa a ideia de que "o anterior governo PSD é o vilão e o bom é este Governo PS". "Convém esclarecer tudo isto para as coisas ficarem no devido lugar", finaliza.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser