China espera que Venezuela consiga manter a estabilidade

A China expressou hoje o seu apoio à Venezuela, nação que considerou "país amigo", e expressou a sua confiança de que o povo venezuelano consiga "gerir os seus assuntos domésticos, manter a estabilidade e o desenvolvimento social e económico".

© Reuters
Mundo Lu Kang

Numa reação aos confrontos entre manifestantes e forças de segurança do país, que resultaram na morte de três pessoas, o porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Lu Kang afirmou que a "China está atenta à situação".

PUB

"Sabemos que o Governo da Venezuela expressou a sua confiança de retomar o diálogo com a oposição", acrescentou.

O porta-voz chinês assegurou que Pequim considera essa "a linha a seguir, para bem dos interesses fundamentais" do povo venezuelano.

O secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, pediu que sejam tomadas medidas para "reduzir a polarização" no país latino-americano, um apelo repetido pela Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Paraguai, Perú e Uruguai, que condenaram a violência dos últimos dias.

Segundo Caracas, três pessoas morreram na quinta-feira durante as manifestações da oposição contra o presidente do país, Nicolás Maduro, e outras 62 ficaram feridas.

Foram detidos 312 manifestantes.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser