Aluna de jornalismo expulsa de universidade por ser contra o comunismo

O caso ocorreu em Cuba e a estudante garante tratar-se de uma decisão com 'cunho político'.

© Reprodução / BBC
Mundo Cuba

Karla María Pérez González, estudante de jornalismo da Universidade Central de las Villas (UCLV), em Cuba, foi expulsa do ensino superior por expressar a sua opinião e revelar-se contra o comunismo.

PUB

De acordo com informações divulgadas pela BBC, os colegas de curso da jovem descobriram que esta escrevia num blog, sob o pseudónimo de Oriana, e mostrava não concordar com a Revolução Cubana e com o regime do país.

As suspeitas acabaram por chegar ao conselho da Federação Estudantil Universitária (FEU) e à reitoria, sendo que Karla foi obrigada a abandonar a universidade por ser, segundo comunicado da FEU, “integrante de uma organização ilegal e contrarrevolucionária, contrária aos princípios, objetivos e valores da Revolução Cubana”.

“A universidade não aceitará jamais a contrarrevolução dentro das nossas universidades”, pode ler-se na nota divulgada pela BBC.

A aluna acusa a universidade de ter realizado apenas reuniões privadas para decidir a sua expulsão, garantindo que a mesma teve ‘cunho político’. “Fui expulsa por não compactuar com as ideias comunistas e não comungar com o sistema socialista cubano - qual ainda não estou convencida depois de todos esses anos”, revelou à estação televisiva.

A jovem é membro da Somos+, uma organização que luta pelo pluripartidarismo, pelas eleições abertas e uma imprensa independente.

Recorde-se que as expulsões de cariz político que ocorrem em Cuba não costumam ser tornadas públicas.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser