Jornalista detido na Turquia por questionar vitória do 'sim' no referendo

Um jornal eletrónico turco informou que um dos seus editores foi hoje detido por ter posto em causa a legitimidade da vitória do sim no referendo de domingo sobre o reforço dos poderes do Presidente Recep Tayyip Erdogan.

© Reuters
Mundo Istambul

Ali Ergin Demirhan, editor do Sendika.Org, foi detido na madrugada de hoje numa operação policial nas instalações do site informativo, em Istambul.

PUB

Demirhan é acusado de "organização de protestos nas redes sociais com o objetivo de mostrar o resultado do referendo como ilegítimo".

É também acusado de "incitação ao ódio" e "de insulto a um representante do Estado", escreve o Sendika.

A polícia apreendeu o disco do computador de Demirhan e o seu telemóvel, segundo a mesma fonte.

"O sim não será legitimado, o Sendika.Org não se calará", escreveu o site após a detenção.

Na quarta-feira, a polícia deteve 16 militantes de esquerda em Istambul na sequência de manifestações de contestação da vitória do sim no referendo de domingo, segundo um partido político e um advogado. No total, foram emitidos 38 mandados de detenção.

Manifestações diárias que mobilizaram milhares de pessoas ocorreram nos bairros de Istambul conhecidos pela sua oposição ao presidente Erdogan desde a vitória do sim.

Observadores internacionais da OCDE e do Conselho da Europa questionaram a equidade do escrutínio e os dois principais partidos da oposição exigem a sua anulação.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser