Supremo dos EUA rejeita retirar acusação de corrupção contra senador

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitou na segunda-feira retirar as acusações por corrupção que pendem contra o senador democrata de origem cubana Robert Menéndez, abrindo caminho ao início do seu julgamento nos próximos meses.

© Reuters
Mundo Menéndez

Em comunicado, o advogado de Menéndez, Abbe Lowell, manifestou-se "dececionado" com a decisão dos magistrados do Supremo, mas também confiante de que "será dada razão" ao seu cliente uma vez que tenha oportunidade de se explicar durante o julgamento.

PUB

Menéndez terá alegadamente ajudado Salomon Melgen, oftalmologista e empresário dominicano residente no estado norte-americano da Florida, nomeadamente numa disputa sobre pagamentos relacionados com os serviços de saúde, estando acusado de ter exercido influência junto de poderes públicos para ajudar os interesses pessoais e financeiros do amigo.

Segundo o Departamento de Justiça, que apresentou a acusação contra Menéndez em 2015, o senador democrata terá aceitado de Melgen vantagens no valor de mais de um milhão de dólares (928.000 euros).

Tanto Menéndez como Melgen foram acusados de conspiração, suborno e fraude e ambos declararam-se não culpados.

Menéndez foi presidente da comissão dos Negócios Estrangeiros do Senado norte-americano entre 2013 e 2015 e um ator chave na política dos Estados Unidos relativamente ao Irão e a Cuba, em oposição à estratégia do ex-presidente Barack Obama nos dois países.

Menéndez, de 63 anos, foi eleito pela primeira vez no Congresso em 1992, é senador desde 2006 pelo estado de Nova Jersey e tornou-se um dos líderes hispânicos mais influentes no Capitólio.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser