China não vai participar no diálogo internacional para a desnuclearização

A China anunciou hoje que não participará nas negociações para a proibição de armas nucleares, que arrancam no próximo dia 27 na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, mas assegurou que "defende a destruição total" da capacidade atómica.

© iStock
Mundo Hua Chunying

"Após cuidadosa consideração, a China decidiu não participar das negociações", afirmou em conferência de imprensa a porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Hua Chunying.

PUB

Pequim prefere antes "manter os mecanismos internacionais de desnuclearização já existentes", disse Hua.

"Apesar de não participarmos, a nossa posição de apoio à total proibição e destruição das armas nucleares não se alterou e estamos dispostos a trabalhar com todos para alcançar um mundo livre destas", afirmou.

Hua falou também da necessidade de "manter a estabilidade estratégica e a segurança", na altura de concretizar a desnuclearização.

As negociações em Nova Iorque decorrem entre os dias 27 e 31 de março, visando discutir um acordo com vínculo legal, que conduza à proibição e eliminação total do armamento atómico.

A China, membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, é uma das potências com arsenal nuclear.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser