CPLP acolhe primeira instituição alemã como observador consultivo

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) anunciou hoje em Berlim a aprovação da Sociedade Alemã para os Países Africanos de Língua Portuguesa (DASP) como observador consultivo da organização, a primeira instituição alemã a alcançar esse estatuto.

© DR
Mundo Estatutos

"A atribuição do estatuto de observador consultivo é, ao mesmo tempo, reconhecimento, e parabenização, mas também um convite a integrar este movimento que visa trazer mais sociedade civil à CPLP, a sermos mais comunidade", disse a diretora geral da CPLP, Georgina Benrós de Mello.

PUB

Georgina Benrós Mello referiu que o trabalho de 30 anos da DASP a unir a Alemanha com os países de língua oficial portuguesa, através de eventos promovidos no país, foi a principal razão para aprofundar a relação da CPLP com a organização alemã.

A diretora geral da CPLP referiu que o mercado da CPLP pode ter muito interesse para a Alemanha devido à variedade de áreas a que as empresas alemãs poderão aceder diferentes nove Estados Membros.

"Estamos a falar de um potencial combinado de dois bilhões de consumidores, se incluirmos Timor Leste, que ainda não é parte mas está em processo muito avançado de candidatura, portanto, sê-lo-á a breve trecho, esperamos nós", disse Benrós de Mello em declarações à agência Lusa.

Helmit Siepmann, presidente da DASP, afirmou que o estatuto de observador consultivo pode ajudar a implementar mais eventos de informação na Alemanha focados nas mais valias dos países de língua portuguesa.

"Podemos influenciar e ajudar a informar sobre os países africanos, em termos de economia, cultura, contribuindo, assim, para uma interdependência. Os contatos mútuos entre a Europa, o velho mundo e estes novos países que merecem ser entendidos", explicou.

A DASP promove eventos e edita publicações científicas sobre questões económicas, sociais e políticas sobretudo na África lusófona, sendo que o conhecimento da Língua Portuguesa na Alemanha tem sido o principal desafio da organização.

"Somos os primeiros e, por isso, temos ainda dificuldades devido ao conhecimento da língua. A Língua Portuguesa na Alemanha, apesar de tantos esforços, não é uma língua que muita gente fale. A plataforma da CPLP serve também para traduzir algumas iniciativas que nasçam na Alemanha para os esforços na África e em outros países da CPLP", afirmou Siepmann.

A candidatura da DASP foi formalizada há cerca de um ano através da embaixada de Portugal em Berlim e a decisão foi anunciada hoje na capital alemã, durante um colóquio organizado pela DASP sobre mudanças e iniciativas em África, na CPLP e na Europa.

O colóquio, que decorre até dia 1 de dezembro, conta com a presença da diretora geral da CPLP, Georgina Benrós de Mello, do presidente da Confederação Empresarial da CPLP, Salimo Abdula, e do escritor brasileiro Luiz Ruffalo, entre outros.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS