Acordou com o pescoço dorido. Em poucas horas, ficou paraplégica

Aos 21 anos, britânica foi diagnosticada com doença rara.

© Facebook/Helen Fincham
Mundo País de Gales

Acordar com o pescoço dorido não é, geralmente, motivo de preocupação. O mais provável é ser resultado de algumas horas de sono numa posição desconfortável. Foi precisamente o que pensou Helen Fincham, na manhã de 24 de agosto.

PUB

Mas, ao invés de atenuarem com o passar das horas, os sintomas da jovem natural de Bridgend, no País de Gales, agravaram-se. Por volta do meio-dia, já não conseguia sentir as pernas e tinha os braços dormentes, o que a levou a crer que pudesse estar a sofrer um ataque cardíaco.

Após ter sido encaminhada para o hospital, seguiu-se uma espera de dois meses até obter o resultado de todos os exames a que foi submetida. Helen tem 21 anos e sofre de mielite transversa, uma condição neurológica extremamente rara que resulta da inflamação das fibras nervosas da medula espinal.

“Foi como se ficasse paralisada do dia para a noite. A minha vida ficou virada do avesso. A condição é tão rara que ainda tenho muitas perguntas sem resposta. É um mistério a forma como vai ser resolvida”, contou ao jornal Mirror.

Um mês após a doença lhe ter sido diagnosticada, Helen começa a ter alguma sensibilidade nas pernas e a movimentar as mãos.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS