Hong Kong: Deputados pró-independência impedidos de prestar juramento

O parlamento de Hong Kong viu-se hoje envolto em caos quando membros da ala pró-Pequim impediram o juramento de tomada de posse de dois dos novos deputados, favoráveis à independência da cidade.

© DR
Mundo Parlamento

O conflito surge numa altura em que são crescentes os receios de um 'cerco' de Pequim à região administrativa especial, com maior controlo sobre as liberdades de que a cidade goza, a par com Macau, e que não existem no resto da China.

PUB

Quando os novos deputados Yau Wai-ching e 'Baggio' Leung iam iniciar o seu juramento, membros do campo pró-Pequim abandonaram o hemiciclo. Os deputados do Conselho Legislativo (LegCo) de Hong Kong fizeram o seu juramento na semana passada, mas o destes dois não foi considerado válido, já que os jovens adicionaram palavras, dizendo, por exemplo, que se comprometiam a servir a "nação de Hong Kong".

A saída da sala dos deputados pró-Pequim fez com que a sessão fosse cancelada, impedindo Yau e Leung de prestarem o juramento, que lhes permite assumirem os assentos que venceram nas urnas.

Após a saída dos deputados, geraram-se acesas discussões, com o deputado da Liga dos Sociais-Democratas Leung Kwok-hung, também conhecido por "Long Hair", a atirar um pedaço de carne processada aos seus opositores. Outro deputado pró-democracia foi rodeado por seguranças depois de virar ao contrário as bandeiras da China e de Hong Kong colocadas nas mesas dos deputados pró-Pequim.

Por seu lado, estes deputados gritaram "Peçam desculpa!", dirigindo-se a Yau e Leung.

Na semana passada, quando prestaram pela primeira vez juramento (não aceite), os dois jovens envergaram uma bandeira com as palavras "Hong Kong não é China".

Ambos prestaram depois o juramento por inteiro, em inglês, mas recusaram-se a pronunciar "China" corretamente.

Os dois tiveram permissão para voltar a prestar juramento hoje, mas a sessão foi cancelada devido ao número insuficiente de deputados no hemiciclo.

"Se querem que as pessoas respeitem os seus juramentos, têm de expressar arrependimento em relação ao seu comportamento na semana passada e pedir desculpa a todos os chineses, em todo o mundo", disse a deputada pró-Pequim, Priscilla Leung.

Yau e Leung disseram desejar completar o seu juramento, mas recusaram-se a pedir desculpa.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS