Cidade sueca pondera reintegrar jihadistas vindos da Síria e Iraque

Proposta polémica está a lançar o debate nas redes sociais.

© Reuters
Mundo Suécia

Da Suécia surgiu uma proposta que está a colher indignação nas redes sociais. Anna Sjöstrand, de Lund, uma cidade do sudeste do país, quer acolher jihadistas oferecendo-lhes casa, carta de condução e isenção de impostos para facilitar a suar reintegração na sociedade, conta a RT. 

PUB

"Pode ser criticado, mas penso que devemos dar a mesma ajuda a quem precisa de nós. Não podemos dizer que por terem feito uma escolha errada, que não têm direito de voltar atrás e viver na nossa sociedade", defendeu a coordenadora municipal, que se baseou no relatório de um criminologista que defende ser mais difícil abandonar o extremismo e conseguir a reintegração na sociedade sem ajuda.

Contudo, a proposta  não está a ser bem acolhida pela população que, através das redes sociais, condena o facto de esta ser uma iniciativa que esquece as vítimas dos próprios terroristas.

"Lund quer ajudar os terroristas com habitação, carta de condução e emprego, mas esquece-se das vítima, lê-se no Twitter. Outro utilizador escreve: "Violadores, assassinos de crianças, terroristas. Todos devem ser tratados de igual forma". De acordo com as autoridades responsáveis, desde abril, pelo menos 300 suecos viajaram para o Iraque e para a Síria para se juntarem ao ISIS. Até outubro, cera de 140 já regressaram à Suécia.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS