EUA: Las Vegas recebe hoje o último debate presidencial

A três semanas das eleições presidenciais de 08 de novembro, os candidatos à Casa Branca Hillary Clinton (democrata) e Donald Trump (republicano) encontram-se hoje em Las Vegas para o terceiro e último debate eleitoral.

© DR
Mundo Eleições

O frente-a-frente de 90 minutos (transmitido em Portugal na madrugada de quinta-feira) realiza-se na Universidade de Nevada e vai ser moderado por Chris Wallace, um conhecido 'pivot' da estação conservadora Fox News.

PUB

Os principais tópicos de discussão foram já divulgados e são seis: imigração, Supremo Tribunal, benefícios sociais e dívida nacional, economia, política externa e as aptidões de cada candidato para assumir o cargo de Presidente.

As últimas projeções revelam que o cenário não é favorável a Trump, que continua a perder terreno nas sondagens e a enfrentar novas acusações de assédio sexual.

A mais recente sondagem da estação televisiva NBC News e do jornal Wall Street Journal dá um avanço de 11 pontos percentuais à antiga secretária de Estado face ao magnata do imobiliário na corrida à Casa Branca (48% contra 37%). Uma outra sondagem (ABC/Washington Post) também colocou a candidata democrata na dianteira mas com um avanço menos expressivo (47% contra 43%).

Depois de ter perdido o primeiro debate (realizado a 26 de setembro em Nova Iorque) e de ter investido num discurso violento no segundo (a 09 de outubro em Saint Louis, Missouri), em que chegou a ameaçar mandar prender a ex-secretária de Estado, Trump passou a última semana a lançar acusações e críticas em todas as direções, de Clinton aos órgãos de comunicação social, passando pelo próprio Partido Republicano.

O multimilionário afirma ser vítima de uma "elite global" e de uma "imprensa corrupta" que pretende viciar a eleição de 08 de novembro a favor de Hillary. O empresário de Manhattan também desafiou Clinton a fazer um teste de drogas antes do debate presidencial de Las Vegas, sugerindo que a candidata estava "dopada" durante o último frente-a-frente.

Nas últimas horas, a mulher do candidato, Melania Trump, surgiu em defesa do marido, tendo afirmado numa entrevista à estação CNN que os 'media' tem sido parciais. Também desvalorizou os comentários grosseiros e ofensivos para com as mulheres feitos por Trump em 2005 num vídeo recentemente divulgado.

A candidata do Partido Democrata permaneceu nos últimos dias em casa, perto de Nova Iorque, para preparar este último debate.

Hillary Clinton irá estar provavelmente preparada para responder sobre a recente divulgação pelo portal WikiLeaks de milhares de documentos retirados do correio eletrónico do seu diretor de campanha, John Podesta.

Entre os vários documentos divulgados estão três discursos remunerados que a candidata à Casa Branca fez para o banco de investimento Goldman Sachs, o que veio revelar os laços entre a democrata e as principais figuras de Wall Street.

A campanha de Clinton não contestou a autenticidade dos discursos, tendo, no entanto, acusado o Governo russo de ser o responsável por estas fugas de informação -- uma opinião partilhada pela administração norte-americana -- e o WikiLeaks de ajudar Trump na corrida à Casa Branca.

Esta semana, novos documentos divulgados pela polícia federal norte-americana (FBI) vieram reavivar a polémica em torno dos 'emails' da ex-secretária de Estado.

De acordo com estes documentos, em 2015, um alto funcionário do Departamento de Estado terá proposto ao FBI para alterar a classificação de uma mensagem eletrónica confidencial de Clinton, tendo mencionado uma possível troca de favores.

Em julho passado, o FBI recomendou que Hillary Clinton não fosse investigada judicialmente, apesar de concluir no inquérito que a ex-secretária de Estado (2009-2013) tinha demonstrado "extrema negligência" ao ter usado uma conta de 'email' pessoal para assuntos de trabalho, muitos deles de natureza confidencial.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser