Mais de mil morreram mas ninguém diz 'Je Suis Haiti'. Porquê?

O furacão Matthew veio agravar as dificuldades daquele que é um dos países mais pobres do mundo.

Mundo Solidariedade

Mais de mil morreram mas ninguém diz 'Je Suis Haiti'. Porquê? © Miguelito Villalba Sanchez

Mais de mil morreram mas ninguém diz 'Je Suis Haiti'. Porquê? © Reuters

1 / 2
Mais de mil morreram mas ninguém diz 'Je Suis Haiti'. Porquê?

Mais de mil morreram mas ninguém diz 'Je Suis Haiti'. Porquê? © Miguelito Villalba Sanchez

1 / 2
© Reuters

O furacão Matthew fez cerca de mil mortos e deixou mais de 1,4 milhões de pessoas a precisar de ajuda humanitária no Haiti. Contudo, a exposição mediática e atenção dedicada à tragédia nas redes sociais foi escassa. Miguelito Villalba Sanchez pergunta-se ‘porquê’?

PUB

“Ninguém é Haiti”, escreveu este ilustrador num cartoon que pretende ilustrar o desprezo pela dor do país.

‘Je suis Paris’ (‘Eu Sou Paris’), foi uma frase amplamente usada em todo o mundo para manifestar solidariedade para com as vítimas dos atentados na capital francesa.

Com um número de vítimas incomparavelmente superior, esta frase não foi, contudo, adotada para comentar a situação.

Há ainda quem critique a pouca atenção que a imprensa deu ao caso, em especial se comparado com os ataques em Paris, ou o facto de o Facebook não ter disponibilizado um filtro para alterar a fotografia de perfil com a bandeira do Haiti.

Também não foram facultadas ferramentas para facilitar as doações, com botões dedicados.

As Nações Unidas lançaram um apelo para reunir 120 milhões de dólares de forma urgente para ajudar o Haiti, que em 2010 já tinha ficado devastado por causa de um sismo. Até ao momento, apenas conseguiu reunir cerca de 13% daquele valor.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS