Revista e atriz pedem desculpa por capa com "insulto" a refugiados

Condé Nast Traveller escolheu, para a capa da última edição, uma atriz a usar uma t-shirt que a identificava não como uma imigrante, estrangeira ou refugiada, mas sim uma viajante.

© Getty Images
Mundo Priyanka Chopra

Priyanka Chopa, uma atriz indiana, foi o rosto escolhido pela revista Condé Nast Traveller para a sua última edição, que gerou revolta com uma ideia polémica que quis transmitir.

PUB

Nessa capa, Chopa utilizava um top branco com alguns conceitos lá estampados, estando riscados os termos ‘refugiado’, ‘imigrante’ ou ‘estrangeira’, e deixando única por riscar: ‘viajante’.

Como seria de esperar, a fotografia foi alvo de inúmeras críticas, sobretudo porque ser refugiado “não é uma escolha” tão fácil como optar pelo próximo destino de férias. Essas críticas levaram a um pedido de desculpas imediato, tanto por parte da atriz de Bollywood como da própria revista.

"Peço as mais sinceras desculpas a quem magoei. Sempre fui contra rótulos. Estou muito afetada e sinto-me péssima, mas a mensagem foi desconstruída" do contexto que se pretendia, explicou Priyanka Chopra em declarações à televisão indiana NDTV.

A revista, por seu lado, emitiu um comunicado com o intuito de esclarecer a intenção da capa, alegando que hoje já se acredita no termo “mundo sem fronteiras”."Temos de reconhecer que estamos todos numa viagem. Estejamos a atravessar oceanos ou apenas a fazer alguns quilómetros, ou fechando os olhos para um mundo totalmente diferente, seja por opção ou por força das circunstâncias - somos todos viajantes", defendem os editores da Condé Nast Traveler no documento.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS