Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

"Passados 42 anos, reencontrei a minha mãe biológica"

Elisabete foi dada para adoção. A busca pela mãe biológica culminou aos 42 anos, o que descreve como “um milagre”.

"Passados 42 anos, reencontrei a minha mãe biológica"

Nasceu na Índia em 1973. 42 anos mais tarde, o inesperado aconteceu na vida de Elisabet Purve-Jorendal: encontrou a mãe biológica.

“A minha mãe tinha 21 anos quando eu nasci. Estava casada há três anos com o meu pai, que se suicidou”, contou Elisabet à BBC, revelando que a mãe teve então de voltar para casa dos pais, que quiseram que voltasse a casar.

Foram os pais, precisamente, quem a obrigou a doar a filha a uma instituição, em setembro de 1973.

Aos dois anos e meio, Elisabet Purve-Jorendal foi adotada por um casal sueco, que a levou para a Suécia, onde ainda reside. As perguntas sobre o que teria motivado o seu percurso de vida insistiram, contudo, em não se dissipar.

Se muitos amigos não compreendiam a sua busca, os pais adotivos ajudaram-na a procurar a mãe biológica. Começou em 1998 e só terminou passados 17 anos. “Como encontrar alguém num país com 1,2 mil milhões de pessoas? É como procurar uma agulha num palheiro”, contou.

Em 2014, deu um passo determinante. Contactou a organização Against Child Trafficking, contra o tráfico de crianças, que se veio a revelar o meio de chegar à mãe. "Não consigo descrever o que senti. Foi um milagre”, assumiu.

Viajou então para Maharashta, na Índia, onde reencontrou a mãe, cuja identidade não foi revelada. Esta tem mais dois filhos, a quem nunca contou a história da sua vida. E Elisabet ficou impressionada com as semelhanças entre ambas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório