Meteorologia

  • 20 MAIO 2022
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 34º

Sem energias renováveis emissões na Europa seriam 7% mais elevadas

As energias renováveis europeias deram um contributo importante para a redução das emissões de gases com efeito de estufa que, sem aquelas alternativas, poderiam ser atualmente 7% mais elevadas, refere um relatório da Agência Europeia do Ambiente.

Sem energias renováveis emissões na Europa seriam 7% mais elevadas
Notícias ao Minuto

14:40 - 17/02/15 por Lusa

Mundo Agência do Ambiente

O documento "Energia renovável na Europa - crescimento recente e efeitos efeitos secundários", hoje divulgado pela Agência Europeia do Ambiente (EEA na sigla em inglês), salienta que as energias eólica, solar, biomassa e outras mais ecológicas continuaram a crescer em 2013 e "foram importantes na redução das emissões de gases com efeito de estufa na Europa".

Sem a contribuição das energias renováveis verificada desde 2005, as emissões de gases com efeito de estufa, com grande responsabilidade nas alterações climáticas, poderiam ter sido 7% mais elevadas que aquelas atualmente registadas, de acordo com a EEA.

As tecnologias renováveis também vieram aumentar a segurança energética, avança o relatório e explica que, sem a sua utilização, o consumo europeu de combustíveis fósseis teria sido 7% mais elevado em 2012.

O combustível com maior substituição pelas energias renováveis foi o carvão, material que poderia ter tido um consumo 13% mais elevado, enquanto o gás natural poderia ter sido 7% mais utilizado.

"A energia renovável está rapidamente a tornar-se uma das histórias de maior sucesso da Europa. Podemos ainda fazer melhor e se apoiarmos a inovação nesta área, pode tornar-se um motor da economia europeia, descendo as emissões enquanto cria empregos", disse o diretor executivo da EEA, Hans Bruyninckx, citado num comunicado da instituição.

No entanto, a EEA refere que as energias renováveis não foram o único fator a contribuir para a redução das emissões de gases com efeito de estufa na Europa e aponta as medidas para melhorar a eficiência energética como outro exemplo.

Segundo estimativas da EEA, em 2013, o consumo final de energia renovável aumentou em todos os Estados membros da União Europeia (UE) e o seu peso subiu para quase 15%, ficando acima da meta de 12% fixada pela diretiva.

Em 2020, a UE pretende conseguir, pelo menos, 20% da sua energia a partir de fontes renováveis, chegando a 27% em 2030.

Ao contrário do que aconteceu em outros setores, nos transportes a utilização de energia renovável desceu em 2013.

Em Portugal, no ano passado, a eletricidade obtida a partir de fontes renováveis foi responsável por 62,7% do total energia elétrica consumida, um aumento de 6% em relação ao ano anterior, conclui uma análise da Quercus e da Associação Portuguesa de Energias Renováveis (APREN) a dados da REN - Redes Energéticas Nacionais, divulgada em meados de janeiro.

As entidades concluíram que 2014 "foi o ano mais renovável" e que, sem esta forma de conseguir energia elétrica, "as emissões atingiriam 26 milhões de toneladas de CO2" (dióxido de carbono), ou seja, "o dobro do atual, [ou] cerca de 40% do total de emissões de gases de efeito de estufa" de Portugal.

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório