Meteorologia

  • 21 JUNHO 2019
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 17º

Edição

Rússia considera retirada do Afeganistão "extremamente inoportuna"

A Rússia qualificou hoje de "extremamente inoportuna" a retirada das tropas ocidentais do Afeganistão numa altura em que "os talibãs estão tão fortes como em 2001".

Rússia considera retirada do Afeganistão "extremamente inoportuna"
Notícias ao Minuto

13:23 - 29/12/14 por Lusa

Mundo Emissário

"Apesar de tudo, os membros da NATO vangloriam-se nas sessões do Conselho de Segurança de que cumpriram todos os seus objetivos. Mas o que fizeram? Saem quando os talibãs estão tão fortes como em 2001", disse o emissário presidencial russo para o Afeganistão, Zamir Kabulov, citado pela agência Interfax.

Para o diplomata, os aliados "não criaram no Afeganistão um exército autossuficiente", algo que "eles próprios reconhecem", e existe a possibilidade de os talibãs reagruparem forças para uma "grande ofensiva" a partir da primavera para cercar Cabul.

Kabulov assegurou que os talibãs não controlam apenas o sudeste do Afeganistão, como antes, tendo "fortes posições em torno de Cabul", que representam uma ameaça à capital não só a partir do leste e sudeste, mas também do norte.

O emissário russo advertiu por outro lado para o risco de uma reativação da atividade de extremistas junto às fronteiras com o Tajiquistão e o Turquemenistão, zonas onde disse estarem cerca de 4.500 e 2.500 combatentes respetivamente, mas afastou a hipótese de um destacamento de tropas russas para a fronteira com o Tajiquistão.

A Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF) da NATO no Afeganistão termina a 31 de dezembro a missão de combate lançada há 13 anos, mantendo apenas no terreno um pequeno contingente de conselheiros militares estrangeiros.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório