Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
36º
MIN 20º MÁX 37º

Militares chineses promovem "retificação" após casos de corrupção

A Comissão Militar Central da China anunciou hoje que o Exército chinês vai ser submetido a um processo de "retificação" como parte da sua "missão de prontidão para combate", após recentes casos de corrupção nas suas fileiras.

Militares chineses promovem "retificação" após casos de corrupção
Notícias ao Minuto

07:06 - 11/07/24 por Lusa

Mundo China

Em comunicado, a Comissão afirmou que o Exército de Libertação Popular deve "continuar a retificar a sua ideologia, pessoal, organização, estilo e disciplina, concentrando-se nos comités do partido de alto nível e nos quadros superiores", a fim de garantir que "mantém sempre a sua natureza e objetivo" e "ousa sempre lutar e vencer".

A Comissão defendeu que esta importante tarefa política exige uma "determinação inabalável" e "ações concretas".

"Temos de integrar os nossos esforços na luta, na preparação para a guerra e na construção do exército. Além disso, temos de consolidar a liderança do Partido Comunista Chinês (PCC) e atingir o grande objetivo de construir um exército forte", afirmou.

O processo de retificação incluirá uma "revisão completa" das políticas e práticas militares, bem como a promoção de "um sentido de disciplina e responsabilidade" entre o pessoal.

O anúncio foi feito duas semanas depois de a direção do PCC ter expulsado o antigo ministro da Defesa Li Shangfu, que foi demitido no ano passado sem qualquer explicação e é agora acusado de crimes de corrupção.

O PCC revelou que foi aberta uma investigação sobre Li em agosto do ano passado, um processo que concluiu que o antigo ministro "violou a disciplina política" ao procurar "benefícios através de negócios pessoais para si e para outros".

"Ele abusou das suas posições para conseguir benefícios para outros, aceitando grandes somas de dinheiro e bens valiosos em troca, e também se descobriu que ofereceu dinheiro a outros para obter benefícios", afirmou o órgão anticorrupção do partido.

A sua expulsão, que se junta à de nove outros generais nos últimos meses, deverá ser oficializada durante a terceira sessão plenária do Comité Central do PCC, a organizar na próxima semana.

No ano passado, o Presidente chinês, Xi Jinping, apelou a um "redobramento" da luta contra a corrupção, que, segundo ele, obteve "uma vitória esmagadora", embora tenha previsto mais punições porque "a situação ainda é grave".

Leia Também: Guerra na Ucrânia. China acusa NATO de "incitar ao confronto"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório