Meteorologia

  • 16 JULHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 26º

Acordo entre Coreia do Norte e Rússia prevê ajuda mútua em caso de ataque

O acordo assinado hoje em Pyongyang entre a Coreia do Norte e a Rússia prevê a prestação de assistência mútua em caso de agressão, anunciou o Presidente russo, Vladimir Putin.

Acordo entre Coreia do Norte e Rússia prevê ajuda mútua em caso de ataque
Notícias ao Minuto

10:44 - 19/06/24 por Lusa

Mundo Rússia

"O acordo de parceria global (...) prevê igualmente a prestação de assistência mútua em caso de agressão contra uma das partes do acordo", declarou Putin após conversações com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, segundo a agência noticiosa russa TASS.

Putin referiu declarações dos Estados Unidos e de outros países da NATO sobre o fornecimento à Ucrânia de armas de longo alcance, aviões F-16 e outro armamento para, segundo disse, atacar o território russo.

"Não se trata apenas de uma declaração, isto já está a acontecer e tudo isto é uma violação grosseira das restrições assumidas pelos países ocidentais no âmbito de vários tipos de obrigações internacionais", afirmou.

Putin descreveu o acordo como um "documento verdadeiramente revolucionário" e disse que Moscovo "não exclui a possibilidade de cooperação técnico-militar" com Pyongyang.

Citado pelas agências russas, o líder norte-coreano afirmou que o acordo com a Rússia era puramente defensivo.

Kim descreveu Putin como "o melhor amigo" da Coreia do Norte e saudou o início de uma "nova era" nas relações com a Rússia.

Também expressou "total apoio e solidariedade para com o Governo, o exército e o povo russo na condução da operação militar especial na Ucrânia para proteger a soberania, os interesses de segurança e a integridade territorial" da Rússia.

"Apreciamos muito o seu apoio sistemático e permanente à política russa, incluindo no que se refere à questão ucraniana", retribuiu Putin.

O Presidente russo foi recebido com um tapete vermelho e uma grande cerimónia na Praça Kim Il-sung, em Pyongyang, com uma banda militar e danças sincronizadas, segundo a agência francesa AFP.

Putin manteve então conversações com Kim durante uma hora e meia, juntamente com a sua delegação, a que se seguiu um encontro privado.

Durante a noite, Kim cumprimentou Putin à chegada no aeroporto e deu-lhe um abraço, sublinhando um reforço das relações que está a causar preocupação em Seul e Washington.

Os Estados Unidos e os aliados ocidentais acusaram a Coreia do Norte de fornecer à Rússia munições e mísseis para a guerra contra a Ucrânia e receiam que a visita de Putin possa conduzir a novas entregas.

Esta é a primeira visita de Vladimir Putin à Coreia do Norte em 24 anos e o segundo encontro entre os dois homens em menos de um ano.

Em setembro passado, Kim viajou de comboio blindado para o Extremo Oriente russo para uma cimeira com Putin centrada no espaço.

Putin convidou agora Kim a visitar Moscovo, segundo a AFP.

Moscovo e Pyongyang são aliados desde o fim da Guerra da Coreia (1950-1953), mas tornaram-se mais próximos desde a operação militar russa na Ucrânia, em 2022.

Leia Também: Vladimir Putin "aprecia apoio" da Coreia do Norte à política da Rússia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório