Meteorologia

  • 24 JULHO 2024
Tempo
29º
MIN 20º MÁX 38º

Esquerda francesa discute como escolher primeiro-ministro se vencer

A coligação de esquerda em França, Nova Frente Popular, discute a escolha do candidato a primeiro-ministro em caso de vitória nas eleições legislativas, uma questão controversa, apesar das sondagens mostrarem a extrema-direita como vencedora.

Esquerda francesa discute como escolher primeiro-ministro se vencer
Notícias ao Minuto

11:42 - 18/06/24 por Lusa

Mundo Mathilde Panot

A França Insubmissa (LFI), grupo maioritário na Assembleia Nacional cessante, que reúne mais candidatos na coligação para a primeira volta das eleições legislativas a 30 de junho, insiste na regra de que deve ser o maior grupo a propor um candidato.

Em entrevista à France 2, a antiga líder do LFI na Assembleia Nacional, Mathilde Panot, voltou hoje a defender esta posição, evitando o debate que, na sua opinião, não é a questão atual.

"Não vamos jogar esse jogo por agora. Temos de ganhar. Não quero dividir colocando este ou aquele nome", disse Mathilde Panot, sem se pronunciar sobre a questão mais polémica dentro da coligação, com as ambições do líder do LFI, Jean-Luc Mélenchon, usadas pelos partidos do centro, da direita e, sobretudo, da extrema-direita, para desqualificar a esquerda.

O primeiro-secretário do Partido Socialista (PS), Olivier Faure, quis intervir neste debate, numa outra entrevista ao canal BFMTV, para dizer que quer que haja "um voto" porque "é a única forma de arbitrar".

Segundo o esquema proposto por Olivier Faure, votariam os deputados dos quatro partidos da Frente Popular - LFI, PS, Ecologistas e Partido Comunista Francês - eleitos na segunda volta das eleições legislativas de 07 de julho.

O líder socialista considera que as circunstâncias da campanha mudaram desde que o Presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou, a 09 de junho, a convocação de eleições legislativas antecipadas, após a vitória esmagadora nas eleições europeias de Marine Le Pen e do partido de extrema-direita União Nacional (RN) de Jordan Bardella.

Para Olivier Faure, na altura existia "a impressão de algo inelutável, a extrema-direita ia ganhar de certeza", mas desde então foi formada a coligação Nova Frente Popular.

Contudo, as sondagens continuam a antecipar uma vitória do RN a 30 de junho.

O instituto Ifop, numa sondagem publicada na segunda-feira à noite, atribui ao partido de extrema-direita 33% dos votos, seguido da Nova Frente Popular com 28% e, em terceiro lugar, a maioria cessante do Presidente francês, Renascimento, com 18% dos votos.

De acordo com este cenário, na segunda volta, a maioria dos eleitores teria de escolher entre um candidato do RN e um candidato da coligação de esquerda, e aí o nome do candidato a primeiro-ministro poderia pesar sobre o destino do voto dos eleitores de outros candidatos do centro ou da direita que tenham sido eliminados na primeira volta.

As eleições legislativas em França realizam-se em duas voltas marcadas para 30 de junho e 07 de julho, em que serão eleitos os candidatos para os 577 círculos eleitorais.

Leia Também: Candidato da extrema-direita francesa critica "lições de moral" de Mbappé

Recomendados para si

;
Campo obrigatório