Meteorologia

  • 14 JULHO 2024
Tempo
23º
MIN 15º MÁX 26º

Dezenas de soldados norte-coreanos atravessam fronteira com Coreia do Sul

Várias dezenas de soldados norte-coreanos atravessaram a fronteira com a Coreia do Sul antes de se retirarem depois de tiros de advertência do exército sul-coreano, anunciou hoje o Estado-Maior sul-coreano.

Dezenas de soldados norte-coreanos atravessam fronteira com Coreia do Sul
Notícias ao Minuto

06:25 - 18/06/24 por Lusa

Mundo Soldados

"Dezenas de soldados norte-coreanos atravessaram a linha de demarcação militar e recuaram para norte depois de terem sido disparados tiros de aviso" pelo Sul, declarou o Estado-Maior.

A incursão ocorreu poucas horas antes da chegada do Presidente russo, Vladimir Putin, à Coreia do Norte para uma rara visita de Estado.

Noutro incidente, vários soldados norte-coreanos ficaram feridos quando minas explodiram perto da fronteira, disse a mesma fonte.

Os soldados realizavam trabalhos de desminagem e de colocação de minas ao longo da fronteira, mas "sofreram numerosas baixas em resultado de repetidas explosões de minas terrestres durante o trabalho", de acordo com um responsável do Estado-Maior sul-coreano.

Apesar disso, os militares do Norte "parecem estar a prosseguir as operações de forma imprudente", acrescentou a mesma fonte.

Nos últimos meses, a Coreia do Norte tem estado a trabalhar no sentido de desmantelar as estradas e os caminhos-de-ferro que ligavam o país ao Sul quando as relações entre os dois países eram melhores.

Pyongyang está também a reforçar as fortificações do lado norte-coreano, ao colocar minas, construir novas barreiras antitanque e limpar grandes áreas florestais, ainda de acordo com os militares do Sul.

"As atividades da Coreia do Norte parecem ser uma medida destinada a reforçar o controlo interno, nomeadamente ao impedir as tropas norte-coreanas e os norte-coreanos de desertarem para o Sul", declarou o chefe do Estado-Maior.

Esta é a segunda vez em menos de duas semanas que soldados norte-coreanos atravessam a linha de demarcação intercoreana, que separa os dois Estados.

Em 09 de junho, soldados norte-coreanos entraram por breves momentos em território sul-coreano, retirando-se após avisos sonoros e tiros de advertência dos soldados sul-coreanos.

As duas Coreias estão separadas por uma zona desmilitarizada (DMZ) com quatro quilómetros de largura.

Os lados norte e sul-coreanos da DMZ estão fortemente fortificados, mas a linha de demarcação propriamente dita, situada no meio desta zona cheia de minas, está apenas assinalada de forma simples.

As relações entre o Norte e o Sul atravessam atualmente um dos períodos mais tensos dos últimos anos. Os dois países continuam tecnicamente em guerra, tendo o conflito de 1950-1953 terminado num armistício e não num tratado de paz.

Nas últimas semanas, Pyongyang enviou para a Coreia do Sul centenas de balões carregados de lixo, como pontas de cigarro, papel higiénico e excrementos de animais.

A intenção de Pyongyang era retaliar contra o envio, por associações de desertores do Norte, de balões com panfletos hostis a Kim Jong-un e à família do líder, dólares, além de séries e música sul-coreanas.

O Norte e o Sul também instalaram altifalantes perto da fronteira com o objetivo de retomar as emissões de propaganda, suspensas desde 2018.

Leia Também: Putin chega hoje à Coreia do Norte para assinar "documentos importantes"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório