Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
27º
MIN 18º MÁX 38º

EUA anunciam nova ajuda de 1,5 mil milhões de dólares à Ucrânia

O anúncio foi feito pelo gabinete da vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, enquanto esta participava na Cimeira de Paz para a Ucrânia, na Suíça.

EUA anunciam nova ajuda de 1,5 mil milhões de dólares à Ucrânia
Notícias ao Minuto

13:29 - 15/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Kamala Harris

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, anunciou, este sábado, mais 1,5 mil milhões de dólares em ajuda para apoiar o setor energético da Ucrânia e responder às necessidades humanitárias resultantes do ataque russo.

O anúncio foi feito enquanto Harris participava na Cimeira de Paz para a Ucrânia, em Lucerna, na Suíça, onde se vai encontrar com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e discursar na sessão plenária da cimeira.

"Estes esforços ajudarão a responder aos últimos ataques da Rússia à infraestrutura energética ucraniana, apoiando a reparação e a recuperação, melhorando a resiliência da Ucrânia às interrupções no fornecimento de energia e estabelecendo as bases para reparar e expandir o sistema energético da Ucrânia", informou o gabinete de Harris, citado pela Reuters.

O montante de 1,5 mil milhões de dólares inclui 500 milhões de dólares em novos fundos para assistência energética e o redirecionamento de 324 milhões de dólares em fundos previamente anunciados para a reparação de infraestruturas energéticas de emergência e outras necessidades na Ucrânia.

O novo pacote, da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional e do Departamento de Estado, também inclui mais de 379 milhões de dólares em assistência humanitária.

Isto "ajudará a responder às necessidades urgentes dos refugiados, das pessoas deslocadas internamente e das comunidades afetadas pela guerra brutal da Rússia contra o povo ucraniano", acrescentou o gabinete.

O Departamento de Estado, com o apoio do Congresso, fornecerá outros 300 milhões de dólares em assistência à segurança civil ucraniana. "Este apoio irá ajudá-los a operar com segurança nas linhas de frente da guerra para defender o território da Ucrânia, resgatar civis alvo dos ataques do Kremlin, proteger infraestruturas críticas e investigar os mais de 120 mil casos registados de crimes de guerra e outras atrocidades", frisou.

Harris, que passará menos de 24 horas no encontro em Lucerna, na Suíça, substituirá o presidente dos EUA, Joe Biden, no evento, uma vez que o Biden acaba de encerrar a sua participação na cúpula do G7 na Itália e retornará aos Estados Unidos para participar de uma arrecadação de fundos para a sua campanha de reeleição em Los Angeles.

Leia Também: EUA destroem embarcações, radares e drone de Hutis no Mar Vermelho

Recomendados para si

;
Campo obrigatório