Meteorologia

  • 17 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 22º

Férias de casal no Brasil prolongam-se (muito) depois de mulher dar à luz

Chris e Cheri Phillips chegaram a 22 de fevereiro ao Brasil e só planeiam deixar o país a 23 de junho.

Férias de casal no Brasil prolongam-se (muito) depois de mulher dar à luz
Notícias ao Minuto

12:04 - 10/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo EUA

Um casal de Cambridge, Minnesota, nos Estados Unidos, que viajou para o Brasil em fevereiro para umas férias de duas semanas, acabou por ter de prolongar a estadia no país para quatro meses... depois que a mulher ter entrado em trabalho de parto prematuro, dando à luz o seu filho com 28 semanas.

Chris e Cheri Phillips chegaram a 22 de fevereiro ao Brasil, onde planeavam comemorar o oitavo aniversário da filha de Chris de um relacionamento anterior, que vive a tempo inteiro com a mãe no Brasil.

Para o casal, em declarações ao Good Morning America, as férias serviam ainda para passarem um tempo a relaxar antes do nascimento do seu primeiro filho juntos, que estava previsto para maio.

No entanto, os planos mudaram a 8 de março - poucos dias antes de regressarem a casa - quando Cheri Phillips começou a sentir dores de parto. "No início, eu estava com uma espécie de dor nas costas... Pensei que só precisava de me deitar e que me sentiria melhor de manhã. Por volta das 4 da manhã, comecei a sangrar, acordei o Chris e lá fomos nós para o hospital", contou a mulher.

Depois de ser internada numa maternidade local em Florianópolis, cidade do sul do Brasil, os médicos passaram os quatro dias seguintes a tentar evitar que Cheri Phillips entrasse em trabalho de parto prematuro. Mas, rapidamente, tornou-se evidente o filho do casal iria nascer inesperadamente 

Foi a 12 de março que os médicos no Brasil tiveram que apressar Cheri Phillips, com 28 semanas de gravidez, para uma cesariana de emergência. Depois do que os Phillipses descreveram como um parto complicado e tenso, o filho, Greyson Leo Phillips, nasceu.

"Para nós, não foi um momento para celebrar. Foi puro medo e puro pânico, pela saúde dele, pela saúde da Cheri. E depois, logisticamente, questionámo-nos sobre como iriamos voltar para casa em termos de todas as coisas burocráticas tanto do lado brasileiro como do lado norte-americano? O que é que vamos fazer em relação ao seguro de saúde?", relatou Chris Phillips, sobre as inseguranças do casal na altura.

Quase imediatamente após seu nascimento, Greyson foi internado na unidade de cuidados intensivos neonatais do hospital. Durante os 51 dias seguintes, Greyson ficou no hospital, enquanto os seus pais encontravam locais para morar durante a sua inesperada estadia prolongada no Brasil.

Enquanto passavam os dias com Greyson no hospital, Chris Phillips, que fala português fluentemente, fazia a tradução entre a sua esposa, que falava inglês, e a equipa médica, que falava português. "Era difícil para mim estar totalmente presente como parceiro e como pai porque estava a trabalhar como intérprete médico. Conseguia reter alguma da informação que passava pelo meu cérebro, mas muitas vezes contava com a Cheri para se lembrar do que eu tinha interpretado e para me pôr a par do que se passava depois, para podermos tomar decisões como casal de pais", relatou Chris.

Ao mesmo tempo em que o casal cuidava do filho, trabalhava sem parar para conseguir a documentação necessária para que Greyson pudesse deixar o Brasil e viajar para os Estados Unidos. Segundo a dupla, foi uma luta durante semanas para obter a certidão de nascimento de Greyson junto das autoridades brasileiras, para que lhe fosse emitido um passaporte americano. 

Com o passar dos dias e semanas, Chris e Cheri Phillips também tiveram que voltar ao trabalho remotamente a partir do Brasil.

O casal planeia agora deixar o Brasil com Greyson a 23 de junho e chegar ao Minnesota a 26 de junho, onde a família e os amigos estarão presentes para dar as boas-vindas a Greyson.

Leia Também: Brasil quer aumentar fiscalização do trabalho infantil

Recomendados para si

;
Campo obrigatório