Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 21º

Liberais reclamam "lugar do condutor da próxima coligação" no PE

A presidente do grupo Renovar a Europa, Valérie Hayer, declarou hoje que só é possível uma maioria pró-europeia no Parlamento Europeu com os liberais, que "estão prontos para assumir o lugar do condutor da próxima coligação".

Liberais reclamam "lugar do condutor da próxima coligação" no PE
Notícias ao Minuto

10:57 - 10/06/24 por Lusa

Mundo Valérie Hayer

"Um enorme obrigado a todos os cidadãos de toda a Europa que usaram a sua voz nestes últimos quatro dias para dar forma a uma Europa melhor e mais eficiente. O nosso Renovar a Europa estará na linha da frente destas ambições. Estamos prontos para estar no lugar do condutor da próxima coligação pró-europeia", afirmou hoje Valérie Hayer, uma dos três candidatos principais dos liberais à presidência da Comissão Europeia, numa mensagem na rede social X.

O grupo Renovar a Europa (RE), a que pertence o Iniciativa Liberal, manteve-se como o terceiro maior grupo no Parlamento Europeu, com 80 lugares, de acordo com a mais recente projeção oficial. Na atual legislatura, num hemiciclo de 705 eurodeputados, os liberais tinham 103 eleitos.

"Os resultados de ontem [domingo] mostram que não é possível uma maioria pró-europeia no Parlamento sem nós. (...) Uma União forte e democrática é o que as pessoas esperam de nós", declarou Hayer, que na noite eleitoral não compareceu no Parlamento Europeu, em Bruxelas, para comentar os resultados.

A eurodeputada francesa, membro do partido Renascimento, do Presidente francês, Emmanuel Macron, dedicou um "bravo especial para os europeus que resistiram ao populismo em países como a Eslováquia" -- onde o partido liberal da oposição, Eslováquia Progressista, venceu as eleições, com 27,81%, à frente do Smer do primeiro-ministro, Robert Fico, que foi baleado no mês passado.

"Não vamos desiludir os europeus. Em qualquer país, seja qual for o resultado", prometeu.

Para a líder dos liberais europeus, "uma Europa mais forte e unida num mundo em que os interesses dos europeus estão mais do que nunca em jogo só pode ser construída a partir do centro político", numa alusão à chamada 'grande coligação' informal com os dois maiores partidos no Parlamento Europeu, Partido Popular Europeu (PPE, centro-direita) e Socialistas e Democratas (centro-esquerda).

"Nós, Renovar a Europa, tencionamos orgulhosamente estar no lugar do condutor da próxima coligação pró-europeia nos próximos cinco anos. O papel central do nosso grupo implica a responsabilidade de garantir que as nossas condições e ambições sejam correspondidas", sublinhou.

Os próximos cinco anos, acrescentou, "serão fundamentais para a prosperidade, a segurança e a soberania da nossa querida Europa e dos seus 450 milhões de habitantes".

O PPE renovou a vitória nas eleições para o Parlamento Europeu, que decorreram entre quinta-feira e domingo, ao assegurar 185 lugares no próximo hemiciclo, com 720 eurodeputados -- mais 15 que na atual legislatura.

Segundo as mais recentes projeções, os Socialistas conseguem 137 lugares, seguidos do Renovar a Europa (80).

Os Conservadores e Reformistas (ECR) sobem ao quarto lugar, com 73 eleitos, seguidos da extrema-direita (Identidade e Democracia), com 58 eurodeputados. Os Verdes descem da quarta para a sexta posição, com 52 assentos, enquanto a Esquerda Europeia assegura 36 eleitos.

Leia Também: PPE vence eleições europeias com 46 lugares à frente de socialistas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório