Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 21º

Sete pessoas mortas a tiro durante jogo de futebol no Equador

Para além das sete vítimas mortais, várias pessoas ficaram feridas, algumas delas com gravidade.

Sete pessoas mortas a tiro durante  jogo de futebol no Equador
Notícias ao Minuto

10:55 - 10/06/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Equador

Sete pessoas foram mortas a tiro enquanto disputavam um jogo de futebol no Equador. Cinco delas morreram no local, enquanto outras duas morreram depois de serem levadas para o hospital, num novo episódio de violência armada no país.

Os acontecimentos tiveram lugar este domingo no cantão de Ventanas, localizado na província de Los Ríos e um dos sete territórios em que o governo decretou um novo estado de emergência em maio devido à violência armada.

Segundo a imprensa local, para além das sete vítimas mortais, várias pessoas ficaram feridas, algumas delas com gravidade.

Em janeiro, a fuga do líder de um grupo de crime organizado de uma prisão de segurança máxima desencadeou revoltas violentas por parte de gangues ligados ao tráfico de drogas, que causaram motins nas prisões, ataques à imprensa, ataques à bomba e cerca de 20 mortes.

O Presidente do Equador, Daniel Noboa, estabeleceu então o estado de emergência, em vigor pelos 90 dias permitidos por lei, e declarou o país em "conflito armado interno".

O exército recebeu ordens para neutralizar cerca de 20 grupos criminosos ligados à máfia da Albânia e aos cartéis do México e da Colômbia, descritos como terroristas e beligerantes.

"No dia 9 de janeiro, quando declarámos guerra aos grupos terroristas, estávamos num caos geral e, em cinco meses, conseguimos restaurar a paz para o povo equatoriano", disse Noboa em maio, aquando do novo estado de emergência.

O estado de emergência para as sete províncias enquadra-se numa "segunda fase da guerra" contra a droga e o crime organizado, acrescentou o chefe de Estado, num vídeo divulgado pela Presidência.

Leia Também: Equador rejeita recurso para libertação do ex-vice-presidente Jorge Glas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório