Meteorologia

  • 17 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 22º

Polónia. Resultados finais confirmam vitória da Plataforma Cívica de Tusk

Os resultados finais divulgados hoje confirmaram a vitória da Plataforma Cívica (PO), do primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, nas eleições europeias, apesar da vantagem inferior ao que inicialmente se previa nas sondagens à boca da urna.

Polónia. Resultados finais confirmam vitória da Plataforma Cívica de Tusk
Notícias ao Minuto

10:11 - 10/06/24 por Lusa

Mundo Europeias/Polónia

O Parlamento Europeu indicou que a PO obteve 37,06%, contra os 36,16% do Lei e Justiça (PiS), da oposição eurocética e conservadora, uma diferença inferior aos mais de quatro pontos previstos nas sondagens de domingo.

A Confederação ultranacionalista obteve 12,08% dos votos num país que elege 53 deputados.

O primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, qualificou a sua vitória como uma "luz de esperança para a Europa", marcando igualmente a primeira numa década no seu país.

"Esperámos exatamente dez anos pelo primeiro lugar no pódio. Estou feliz. Temos o direito de estar felizes e emocionados", declarou Tusk, após a divulgação das primeiras projeções, que atribuíam 38,2% dos votos à sua PO.

Estas eleições europeias marcam uma inversão de tendência nos últimos dez anos na Polónia, em que o PiS, liderado pelo dirigente histórico Jaroslaw Kaczynski, surge pela primeira vez como partido derrotado.

O líder do PiS reconheceu a sua deceção com os resultados, mas indicou esperança de melhorá-los nos próximos desafios, já a começar nas presidenciais no próximo ano.

"Sabemos o que fazer para aumentar este resultado. Vamos unir-nos e não há dúvida de que o caminho para a vitória nas eleições mais importantes, primeiro as presidenciais e depois as parlamentares, está aberto", declarou.

A campanha eleitoral foi inteiramente dominada pelo tema da segurança militar, económica e energética, cuja importância é reconhecida por 95% dos polacos, segundo as sondagens, e por toda a classe política da Polónia, país membro da NATO e da UE, vizinho da Rússia e que está entre os mais fortes apoiantes de Kiev.

A Polónia presidirá à UE no primeiro semestre de 2025, sucedendo à Hungria.

No total, cerca de 361 milhões de eleitores dos 27 países da UE foram chamados a escolher a composição do próximo Parlamento Europeu, elegendo 720 eurodeputados, mais 15 que na legislatura anterior. A Portugal cabem 21 lugares no hemiciclo.

Leia Também: Alemanha. União Democrata-Cristã (CDU) vence com 30%, seguida do AfD

Recomendados para si

;
Campo obrigatório