Meteorologia

  • 18 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 21º

Sánchez fala em "magnífico resultado" face a onda de extrema-direita

O primeiro-ministro de Espanha, Pedro Sánchez, congratulou-se hoje com "os magníficos resultados" do Partido Socialista espanhol (PSOE) nas europeias, em que ficou atrás do Partido Popular (PP, direita), sublinhando a "onda de extrema-direita" que atravessa a Europa.

Sánchez fala em "magnífico resultado" face a onda de extrema-direita
Notícias ao Minuto

07:06 - 10/06/24 por Lusa

Mundo Europeias/Espanha

"O PSOE converte-se na única opção de Governo capaz de fazer frente à onda de extrema-direita que atravessa a Europa e Espanha. Vamos continuar a trabalhar para consolidar uma Europa de avanços e de progresso", escreveu Sánchez na rede social X.

Sánchez felicitou o PP pelo resultado nas europeias de domingo em Espanha e deu os parabéns à candidata socialista, Teresa Ribera, e ao PSOE pelos "magníficos resultados".

O PP venceu as eleições europeias de domingo em Espanha, com 34,2% dos votos e 22 eurodeputados eleitos, enquanto os socialistas alcançaram 30,18% e 20 assentos no Parlamento Europeu.

O PP, que integra o Partido Popular Europeu (PPE) na assembleia europeia, elegeu hoje mais nove eurodeputados do que em 2019, o ano das eleições anteriores.

Já o PSOE perdeu um lugar no Parlamento Europeu, onde integra o grupo dos Socialistas e Democratas (S&D).

Ainda assim, é o partido que contribuirá com maior número de eurodeputados para o grupo S&D, como destacou Teresa Ribera, no domingo à noite, numa declaração na sede do PSOE, em Madrid, após serem conhecidos os resultados das eleições.

Teresa Ribera prometeu que o PSOE "continuará a ser o dique de contenção" da extrema-direita em Espanha e na Europa, assegurando que não viabilizará a entrada de extremistas "na governação" das instituições da União Europeia (UE) na nova legislatura.

Também Teresa Ribera - que ainda é ministra e uma das vice-presidentes de Sánchez no Governo espanhol - considerou que o PSOE teve no domingo um "magnífico resultado", sublinhando que foi o partido atualmente num governo europeu com melhores votações.

Numa leitura nacional, Ribera destacou que o resultado foi "praticamente idêntico" ao das legislativas espanholas de julho do ano passado e concluiu que representa um apoio do eleitorado ao Governo de Sánchez, que conseguiu um novo mandato graças a uma geringonça parlamentar de oito partidos.

Para Teresa Ribera, a tentativa do PP de fazer das europeias de domingo um referendo à governação de Sánchez resultou num "fracasso rotundo" para os populares, numa leitura oposta dos resultados que fizeram os dirigentes do PP.

Sobre o resultado do PP, a candidata socialista considerou que o aumento do partido se deveu, simplesmente, à absorção do eleitorado do Cidadãos, como aconteceu em todas as eleições em Espanha no último ano, sem conseguir debilitar a extrema-direita, "antes pelo contrário".

O partido de extrema-direita Vox passou de ser a quinta força mais votada em Espanha nas europeias anteriores para ser a terceira este ano, alcançando 9,62% dos votos e contribuindo com seis eurodeputados para o grupo dos Conservadores e Reformistas (ERC), o dobro dos eleitos em 2019.

A par do Vox, um novo partido também considerado populista e de extrema-direita, chamado Acabou-se a Festa e que ainda não está dentro de qualquer grupo no Parlamento Europeu, elegeu pela primeira vez: conseguiu três eurodeputados, resultado de 4,59% dos votos.

Espanha elegeu no escrutínio de domingo 61 eurodeputados (mais sete do que em 2019).

Cerca de 361 milhões de eleitores dos 27 países da UE foram chamados a escolher a composição do próximo Parlamento Europeu, elegendo 720 eurodeputados, mais 15 que na legislatura anterior.

A Portugal cabem 21 lugares no hemiciclo.

Leia Também: PP fala em "censura a Sánchez" e novo ciclo político no país

Recomendados para si

;
Campo obrigatório