Meteorologia

  • 12 JUNHO 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 23º

Coreia do Norte dispara míssil balístico em direção ao mar do Japão

A Coreia do Norte disparou hoje um míssil balístico em direção ao mar do Japão, adiantaram fontes militares sul-coreanas, sobre o mais recente teste que ocorre dias depois da tentativa falhada de Pyongyang de lançar um satélite espião.

Coreia do Norte dispara míssil balístico em direção ao mar do Japão
Notícias ao Minuto

23:32 - 29/05/24 por Lusa

Mundo Coreia do Norte

O Estado-Maior Conjunto sul-coreano, citado pela agência Yonhap, confirmou o lançamento, sem adiantar mais detalhes.

O Ministério da Defesa japonês informou, por sua vez, que o projétil lançado pela Coreia do Norte em direção ao mar do Leste, também conhecido como mar do Japão, terá caído por volta das 06:21 de quinta-feira locais (22:21 de quarta-feira em Lisboa) nas águas do mar do Japão, e aparentemente fora do seu território.

A Coreia do Norte confirmou na segunda-feira que o lançamento de um foguete espacial, para colocar em órbita um satélite espião, falhou devido a um alegado problema no motor do propulsor.

Em comunicado, o Estado-Maior sul-coreano afirmou ter detetado o rasto do projétil lançado da zona de Tongchang-ri - no noroeste do país, onde se situa a base de lançamento espacial de Sohae - em direção ao mar Ocidental (nome dado nas duas Coreias ao mar Amarelo).

Apenas dois minutos depois de localizar o lançamento, os radares sul-coreanos voltaram a detetar o projétil "como um grande aglomerado de fragmentos nas águas norte-coreanas", indicando que o foguetão falhou em pleno voo.

A Coreia do Norte somou assim mais um fracasso ao seu programa espacial, após dois lançamentos falhados do foguetão Chollima-1 na primavera e no verão de 2023.

Em novembro, Pyongyang conseguiu finalmente lançar com êxito o foguetão e colocar em órbita o seu primeiro satélite espião, o Malligyong-1.

A Coreia do Norte afirmou no início deste ano que iria lançar mais três satélites espiões "Malligyong" até 2024.

Para o êxito do lançamento de novembro, acredita-se que tenha sido fundamental a ajuda da Rússia, que foi muito reforçada depois de o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente russo, Vladimir Putin, terem realizado uma cimeira, em setembro de 2023.

Washington, Seul e Tóquio condenam estes lançamentos espaciais norte-coreanos, argumentando que representam uma violação das sanções da ONU, que proíbem Pyongyang de utilizar tecnologia de mísseis balísticos.

Leia Também: Coreia do Norte terá lançado balões de lixo e "fezes" para Coreia do Sul

Recomendados para si

;
Campo obrigatório