Meteorologia

  • 20 JUNHO 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 22º

Peritos da ONU: Ataque em Rafah foi "indiscriminado e desproporcional"

O ataque de domingo a um campo de deslocados em Rafah, que matou pelo menos 46 pessoas, 23 delas mulheres, crianças e idosos, foi "indiscriminado e desproporcional", afirmaram hoje cerca de 50 especialistas da ONU.

Peritos da ONU: Ataque em Rafah foi "indiscriminado e desproporcional"
Notícias ao Minuto

17:41 - 29/05/24 por Lusa

Mundo Médio Oriente

Num comunicado, a cerca de meia centena de relatores e especialistas em direitos humanos defenderam que Israel não pode fugir à sua responsabilidade por esses crimes, alegando que foi "um erro".

"Os relatos do terreno indicam que os ataques foram indiscriminados e desproporcionados, e que muitas vítimas ficaram presas em tendas de plástico em chamas, resultando num terrível número de mortos", afirmaram os peritos.

O ataque a áreas que abrigam palestinianos deslocados, muitos deles mulheres, crianças, deficientes e idosos, "é uma grave violação das leis da guerra e uma lembrança sombria da necessidade de ação internacional e de responsabilização", acrescentaram.

Os relatores e especialistas em direitos humanos afirmaram que o facto de os dirigentes israelitas atribuírem este ataque a um erro não os isenta de uma responsabilidade legal.

"Dizer que foi um erro não legaliza estas ações, não traz os mortos de volta à vida, nem conforta os sobreviventes", afirmaram.

Nesse sentido, exigiram também uma investigação internacional independente ao incidente, recordando que dois dias depois, na terça-feira, um incidente semelhante a oeste de Rafah matou mais 21 palestinianos, 13 dos quais mulheres.

Perante tais violações dos direitos humanos, os peritos insistiram no imperativo de que o fluxo de armas para Israel "seja interrompido imediatamente, dadas as provas de que são utilizadas para matar cruelmente e mutilar civis palestinianos".

Entre os signatários do comunicado contam-se a relatora da ONU para a Palestina, Francesca Albanese, e a sua homóloga para os direitos das pessoas deslocadas internamente, Paula Gaviria.

Leia Também: "Todos os olhos em Rafah". Imagem gerada por IA sobre Gaza corre o mundo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório