Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 29º

Suécia suspende entrega de caças Gripen a Kyiv para dar prioridade a F-16

A Suécia decidiu hoje suspender o envio de caças Gripen para Kyiv, respondendo a um pedido dos países parceiros para dar prioridade à entrega de F-16 à Ucrânia, segundo o Ministério da Defesa sueco.

Suécia suspende entrega de caças Gripen a Kyiv para dar prioridade a F-16
Notícias ao Minuto

15:37 - 28/05/24 por Lusa

Mundo Ucrânia/Rússia

"Os outros países (...) pediram-nos para esperar antes de doar o sistema Gripen", disse o porta-voz do Ministério da Defesa, Pål Jonson, numa mensagem enviada à agência France-Presse (AFP).

A decisão foi anunciada em Bruxelas, onde o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o primeiro-ministro belga, Alexander De Croo, assinaram hoje um acordo de cooperação bilateral que inclui a entrega pela Bélgica de 30 aviões F-16 até 2028.

"Os nossos parceiros de coligação (...) sublinham que a introdução simultânea de dois sistemas de combate aéreo é muito complexa e que devemos agora concentrar-nos na introdução do sistema F-16 na Força Aérea ucraniana", explicou Jonson.

Os Países Baixos e a Dinamarca lideram uma coligação de 11 países que se comprometeram a entregar estes caças de fabrico norte-americano à Ucrânia, bem como a formar pilotos ucranianos para os operarem.

Outro obstáculo à possível entrega do Gripen a Kyiv é a falta de "disponibilidade de pilotos ucranianos", disse o porta-voz sueco.

Em setembro passado, o Governo sueco anunciou que os pilotos ucranianos tinham completado com sucesso a formação inicial nos aviões Gripen.

"Não excluímos a possibilidade de enviar Gripens numa data posterior, mas estamos agora a concentrar-nos no sistema F-16", adiantou.

Os pilotos e técnicos ucranianos estão atualmente a receber formação na Dinamarca sobre o F-16.

A Suécia contabiliza mais de 90 aviões de combate JAS 39 Gripen do fabricante Saab.

A Ucrânia tem contado com ajuda financeira e em armamento dos aliados ocidentais desde que a Rússia invadiu o país, em 24 de fevereiro de 2022.

Leia Também: Ucrânia? Charles Michel saúda acordos como de Portugal mas deixa apelo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório