Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 29º

Conselho de Segurança da ONU reúne-se de urgência após ataque em Rafah

O Conselho de Segurança da ONU vai reunir-se hoje de urgência para discutir a situação no sul da Faixa de Gaza, após os bombardeamentos de Israel em Rafah, que causaram dezenas de mortos, revelaram fontes diplomáticas.

Conselho de Segurança da ONU reúne-se de urgência após ataque em Rafah
Notícias ao Minuto

06:20 - 28/05/24 por Lusa

Mundo Israel/Palestina

A reunião, à porta fechada, foi solicitada pela Argélia, membro não permanente do Conselho de Segurança, referiram na segunda-feira à noite várias fontes diplomáticas à agência France-Presse (AFP).

O Tribunal Internacional de Justiça (TIJ), o principal órgão jurisdicional das Nações Unidas, ordenou na semana passada a Israel que suspendesse a sua ofensiva e qualquer outra ação na província de Rafah que pudesse provocar "a destruição física" do povo palestiniano em Gaza.

As decisões do tribunal da ONU, com sede em Haia, nos Países Baixos, são vinculativas, mas o TIJ não tem meios para as fazer cumprir.

De acordo com as autoridades palestinianas, os bombardeamentos israelitas a um campo de deslocados em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, causaram no domingo pelo menos cerca de 50 mortos.

O ataque israelita ocorreu horas depois de oito 'rockets' terem sido disparados contra Telavive a partir de Rafah.

O braço armado do movimento islamita palestiniano Hamas declarou ter disparado "uma grande barragem de 'rockets' em resposta aos massacres sionistas contra civis".

As Forças de Defesa Israelitas (IDF, na sigla em inglês) referiram que o ataque em Rafah "atingiu um complexo do Hamas, onde operavam terroristas importantes" do grupo islamita.

Já esta segunda-feira, o Governo israelita prometeu investigar o ataque das suas forças militares.

"Vamos investigar o assunto. Foi realmente sério. Qualquer perda de vidas, de vidas civis, é algo sério e terrível", adiantou Avi Hyman, porta-voz do Governo israelita, durante uma conferência de imprensa, insistindo que Israel continua a tentar "limitar as perdas civis".

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, classificou como "um incidente trágico" o ataque aéreo, que foi amplamente condenado pela comunidade internacional.

Em 07 de outubro de 2023, um ataque sem precedentes do Hamas em território israelita causou cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades de Telavive.

O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, indicou esta segunda-feira que o número de pessoas mortas por fogo israelita desde 07 de outubro subiu para 36.050, enquanto o número de feridos subiu para 81.026.

Além disso, o ministério recorda diariamente que mais de 10 mil corpos continuam enterrados sob os escombros, sem que as ambulâncias ou equipas de socorro possam aceder a eles.

Leia Também: Canadá horrorizado com mortes civis em Rafah pede cessar-fogo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório