Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 25º

Macron defende "novo conceito de segurança" europeu perante ameaça russa

O Presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu hoje um "novo conceito de segurança comum", europeu, para fazer face à ameaça da Rússia "hoje e amanhã", e ainda à definição no plano comercial de "uma preferência europeia".

Macron defende "novo conceito de segurança" europeu perante ameaça russa
Notícias ao Minuto

19:53 - 27/05/24 por Lusa

Mundo Macron

"Vivemos juntos num só continente. A Rússia ameaça a nossa segurança também hoje. A Rússia atacou a Ucrânia e pode estar aqui amanhã e depois de amanhã", afirmou Macron, num discurso perante uma plateia de jovens, na cidade alemã de Dresden.

O responsável defendeu um "novo conceito de segurança comum", uma base na qual serão decididas capacidades, meios, projetos necessários. "Os projetos tecnológicos que devemos desenvolver enquanto europeus", disse.

No plano comercial, a Europa deve também "sair da ingenuidade" e "proteger-se melhor", construindo "uma preferência europeia", defendeu Macron, que argumentou sobre a necessidade de duplicar o orçamento comunitário.

"A Europa é o último lugar onde estamos abertos ao resto do mundo sem preferência europeia e sem regras", lamentou o chefe de Estado francês, num país avesso a regras protecionistas.

"O orçamento europeu deve ser duplicado, quer através de estratégias de investimento, quer através de dívida conjunta. Precisamos do dobro do investimento na Europa", defendeu, apelando à criação de um mercado de capitais comum para atrair mais financiamento privado.

À extrema-direita, o líder francês chamou "vento maléfico" que está a "soprar por toda a Europa" e instou os cidadãos a defender a democracia quando faltam menos de duas semanas para as eleições europeias.

"Olhemos à nossa volta para o fascínio pelos regimes autoritários, olhemos à nossa volta para o momento iliberal que estamos a viver", alertou Macron, acrescentando ainda: "a extrema-direita, este vento maléfico, está a soprar na Europa, é uma realidade, por isso vamos acordar".

Apelou ainda à "construção de um novo paradigma de crescimento para as gerações futuras", um modelo "que assuma plenamente o investimento sólido no clima e a descarbonização das economias" europeias.

Antes de discursar perante milhares de jovens, junto à Frauenkirche, um edifício destruído em fevereiro de 1945 pelos bombardeamentos americano-britânicos e que foi reconstruído após a reunificação alemã em 1990, o Presidente francês almoçou com jovens franco-alemães nos jardins do castelo de Moritzburg, perto da capital da Saxónia.

Trata-se da primeira visita de um chefe de Estado francês à Alemanha de Leste desde François Mitterrand em 1989.

A cidade de Dresden é emblemática do renascimento económico desta parte da antiga Alemanha de Leste, agora conhecida pelo nome lisonjeador de "Silicon Saxony".

Na terça-feira, Macron deverá receber o Prémio Internacional da Paz de Westphalia, em Münster (oeste), pelo seu "compromisso europeu", antes de se encontrar com o chanceler Olaf Scholz em Meseberg, perto de Berlim, para um Conselho de Ministros franco-alemão.

Os dois políticos tentarão, uma vez mais, ultrapassar as suas divergências sobre o apoio à Ucrânia e o futuro da Europa e reforçar a parceria franco-alemã, que continua a ser a força motriz da União Europeia.

Leia Também: Portugal apoia Zelensky desde o 1.º dia. Recorde os acontecimentos

Recomendados para si

;
Campo obrigatório