Meteorologia

  • 22 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 14º MÁX 27º

Presidente da África do Sul apela ao voto nas eleições de quarta-feira

O Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, pediu hoje a "todos os sul-africanos" que votem nas eleições gerais da próxima quarta-feira, as mais difíceis para o Congresso Nacional Africano (ANC), desde que chegou ao poder em 1994.

Presidente da África do Sul apela ao voto nas eleições de quarta-feira
Notícias ao Minuto

20:38 - 26/05/24 por Lusa

Mundo África do Sul

"Apelo a todos os sul-africanos para que votem", disse Ramaphosa numa mensagem invulgar dirigida à nação a partir dos Union Buildings (sede do Governo), em Pretória, transmitida na televisão pública SABC, apenas três dias antes das eleições.

"Somos um povo diverso, mas somos uma nação unida. Vamos estar unidos no nosso empenhamento na nossa democracia. Vamos trabalhar juntos para construir um país melhor", disse o Presidente, candidato a um segundo e último mandato de cinco anos.

O chefe de Estado manifestou a sua esperança de que, tal como em todas as eleições desde 1994, as primeiras multirraciais depois da queda do regime do apartheid, este escrutínio decorra em "condições pacíficas e estáveis, que seja livre e justo".

Ramaphosa, de 71 anos, lembrou que esta segunda-feira os mais de 1,6 milhões de sul-africanos que se registaram para o "voto especial" (por motivos de doença, imobilidade ou incapacidade de ir às urnas na quarta-feira) vão começar a votar.

O Presidente referiu-se ainda a vários incidentes relacionados com a tentativa de obstrução das eleições, incluindo a invasão de instalações da Comissão Eleitoral Independente (IEC) na província oriental de KwaZulu-Natal.

"Apelamos mais uma vez a todos os partidos, candidatos, apoiantes e a todos os sul-africanos para que se abstenham de qualquer ação que possa interferir com o processo eleitoral", disse.

Ramaphosa, que passou em revista os êxitos do seu Governo na luta contra a corrupção e na recuperação da economia após a pandemia da covid-19, entre outros, fez um discurso dramático de encerramento de campanha no passado sábado, afirmando aos seus apoiantes que, se o ANC não for apoiado nas eleições, o país poderá regressar "a um passado terrível".

"[No próximo dia 29,] o povo da África do Sul vai decidir se o nosso país continua a avançar com o ANC para um futuro melhor e mais brilhante ou se regressa a um passado terrível", afirmou a dezenas de milhares de apoiantes no estádio FNB de Joanesburgo, no último grande comício do partido antes das eleições gerais.

O ANC governa o país desde a instauração da democracia em 1994, com a vitória de Nelson Mandela - o primeiro presidente negro do país - nas eleições desse ano, que marcaram o fim do regime racista do "apartheid" (1948-1994) imposto pela minoria branca.

Leia Também: Oposição da África do Sul pede voto para destituir governo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório