Meteorologia

  • 21 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 24º

Pelo menos 30 mortos em confrontos entre rebeldes e militares no Darfur

Pelo menos 30 pessoas morreram e mais de 60 ficaram feridas no fogo cruzado entre o grupo paramilitar Forças de Apoio Rápido (FAR) e o Exército do Sudão em Al-Fashir, último bastião das forças armadas na região do Darfur.

Pelo menos 30 mortos em confrontos entre rebeldes e militares no Darfur
Notícias ao Minuto

15:58 - 25/05/24 por Lusa

Mundo Darfur

A Sala de Emergências de Al-Fashir disse hoje em comunicado, citado pela EFE, que nas últimas 24 horas 30 pessoas morreram e outras 64 ficaram feridas, na sua maioria mulheres e crianças, na capital do estado de Darfur Norte, após um crescendo da violência nos bairros residenciais e acampamentos de deslocados na cidade e arredores.

Um dos ataques teve como objetivo a mesquita de Khatam al-Anbiya, onde um menino ficou gravemente ferido durante a oração de sexta-feira -- o dia sagrado dos muçulmanos -- acabando por morrer no Hospital Sul de Al-Fashir, o principal da localidade e um dos poucos que continua a funcionar.

Fontes do Crescente Vermelho sudanês no Darfur Norte indicaram hoje à EFE que os confrontos continuaram hoje com grande intensidade, decorrendo sobretudo em bairros residenciais, refúgios e instalações civis.

Ahmed Hussein, porta-voz das Forças Conjuntas -- compostas pelo Exército e por grupos tribais aliados -- disse em comunicado que nas últimas duas semanas conseguiram "esmagar" os combatentes das FAR que tentam conquistar Al-Fashir há meses, ainda que admitindo que o cerco ainda não terminou.

De acordo com o porta-voz, os paramilitares estão a tentar entrar na cidade, enquanto a cercam e usam "armas pesadas" contra ela.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) informou hoje que os confrontos dos últimos dias tiveram lugar no acampamento de deslocados de Abu Shouk, no norte de Al-Fashir, assim como no bairro de Al Salam e em zonas do sudeste da cidade, provocando o deslocamento de pelo menos 400 famílias.

"Além disso, sete casas foram queimadas e outras 15 foram parcialmente destruídas pelos confrontos", acrescentou a agência das Nações Unidas, que indicou que mais de 1.500 famílias abandonaram as suas casas em Al-Fashir até ao dia de hoje.

Após duas semanas de cerco incessante das FAR, pelo menos 85 pessoas morreram e outras 700 ficaram feridas, segundo a ONU, que alertou por diversas vezes para a deterioração a passos largos da situação humanitária de mais de 800 mil deslocados em Al-Fashir.

Leia Também: Combates no Sudão fazem 85 mortos e 707 feridos em duas semanas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório