Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 25º

Rússia quer África mais soberana e vai abrir novas missões diplomáticas

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo afirmou hoje que Moscovo quer que o continente africano tenha mais soberania, enquanto o Ocidente o prefere dependente, e que vão ser abertas missões diplomáticas em mais três países africanos.

Rússia quer África mais soberana e vai abrir novas missões diplomáticas
Notícias ao Minuto

19:34 - 23/05/24 por Lusa

Mundo MNE

"Estamos prontos, nas condições atuais, para apoiar os países africanos no reforço da sua soberania, na resolução de problemas socioeconómicos prementes e na defesa do lugar legítimo e digno de África no mundo moderno, incluindo o processo de reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas", afirmou Sergey Lavrov na receção aos diplomatas estrangeiros em Moscovo por ocasião do Dia de África, que se assinala a 25 de maio, sábado.

O ministro russo anunciou também que estão "a preparar a abertura de missões diplomáticas completas na Serra Leoa, no Níger e na República do Sudão do Sul".

"Os métodos do Ocidente mudaram, mas a essência da sua política em relação aos países africanos permaneceu a mesma - subjugar todos à sua vontade, viver à custa dos outros, utilizando formas mais sofisticadas de exploração no âmbito da chamada ordem baseada em regras", salientou Lavrov, criticando o Ocidente, acusando-o de "novas práticas coloniais e neocoloniais".

Lavrov salientou que a Rússia está a trabalhar ativamente para expandir a sua presença diplomática em África e que as relações russo-africanas continuam a desenvolver-se.

"Assistimos a um crescimento do comércio russo-africano que no ano passado aumentou 20% e ascendeu a 23 mil milhões de euros", afirmou.

Em abril, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo anunciou que Moscovo estava a estudar e a trabalhar nas possibilidades de abrir missões diplomáticas na Serra Leoa, no Níger e no Sudão do Sul no futuro.

Nessa altura, o ministério acordou com as autoridades dos países anfitriões a abertura de embaixadas no Burkina Faso e na Guiné Equatorial e de consulados gerais numa série de países asiáticos e africanos.

Nos últimos anos, a Rússia aumentou a sua presença em África, onde os mercenários do Grupo Wagner operam em vários dos seus países.

Além disso, no contexto da crise alimentar causada pela guerra na Ucrânia, o Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou o envio gratuito de cereais e fertilizantes para os países africanos mais necessitados e propôs a cooperação russa para desenvolver a agricultura no continente.

Leia Também: Putin assina decreto para compensar bens russos congelados nos EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório