Meteorologia

  • 25 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 23º

Palestina espera que reconhecimento do seu Estado gere novos "apoios"

O embaixador palestiniano nas Nações Unidas (ONU), Riyad Mansour, manifestou hoje esperança de que o iminente reconhecimento do Estado da Palestina por Espanha, Noruega e Irlanda seja seguido por "outras ondas de apoio".

Palestina espera que reconhecimento do seu Estado gere novos "apoios"
Notícias ao Minuto

16:37 - 22/05/24 por Lusa

Mundo Palestina

Para Mansour, que falou à entrada do Conselho de Segurança, este reconhecimento anunciado hoje pelos três países europeus é "um investimento na paz e [serve para] salvar a solução de dois Estados" - o israelita e o palestiniano -, e é do interesse de Israel "aprender as lições e ouvir a este grito massivo internacional".

No entanto, lamentou que Israel não só não dê ouvidos a essas vozes, como também "caminhe na direção oposta, desafiando todos, atacando todos e insultando todos", a começar pelas instituições das Nações Unidas.

Mas, com o anúncio de hoje, fica claro "quem está do lado certo da História e quem está do lado errado", advogou Mansour.

O diplomata disse estar convencido de que restam apenas alguns obstáculos para alcançar o reconhecimento pleno do seu Estado, defendendo que "é uma questão de tempo".

Com as suas palavras, Mansour aludiu não só ao reconhecimento bilateral da Palestina, mas também à sua admissão na ONU como membro de pleno direito, um estatuto que foi rejeitado recentemente no Conselho de Segurança com o veto único dos Estados Unidos.

Os governos de Espanha, Irlanda e Noruega anunciaram hoje que vão oficializar o reconhecimento do Estado da Palestina na próxima terça-feira, 28 de maio.

O anúncio foi saudado pelos dirigentes palestinianos e criticado pelo Governo israelita, que chamou os seus embaixadores nos três países e convocou os homólogos em Jerusalém.

Espanha, Noruega e Irlanda somam-se aos 137 membros das Nações Unidas que reconhecem o Estado da Palestina.

Malta e a Eslovénia também afirmaram que poderão dar este passo em breve. Por seu lado, a França considera que não existem "as condições" que conduzam a esse reconhecimento.

Portugal mantém a vontade de reconhecer a Palestina, mas está a tentar obter o maior consenso possível entre os membros da União Europeia (UE), disse hoje à Lusa fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Leia Também: Alemanha defende que "não há atalhos" para solução de dois Estados

Recomendados para si

;
Campo obrigatório