Meteorologia

  • 21 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 24º

Parlamento britânico aplaude regresso de deputado que perdeu mãos e pés

O parlamento britânico uniu-se hoje numa ovação pelo regresso ao trabalho de um deputado britânico seis meses depois de uma septicemia o ter deixado em coma e forçado a amputação das mãos e dos pés.

Parlamento britânico aplaude regresso de deputado que perdeu mãos e pés
Notícias ao Minuto

15:24 - 22/05/24 por Lusa

Mundo Craig Mackinlay

Deputados do partido do governo e da oposição aplaudiram de pé quando o deputado Conservador Craig Mackinlay entrou sem ajuda na Câmara dos Comuns, antes da sessão semanal de perguntas ao primeiro-ministro.

"Como sabem, não é permitido bater palmas. Mas isto é uma exceção", disse o presidente da Câmara, Lindsay Hoyle.

Mackinlay, de 57 anos, que afirmou em várias entrevistas que quer ser conhecido como "o deputado biónico", começou por pedir desculpas pela forma. 

"Hoje fui responsável pela infração de tantas regras: aplausos, calcei ténis porque os meus sapatos não cabiam nos pés de plástico e o meu casaco não cabia no braço biónico".

Dirigindo-se aos colegas deputados na Câmara dos Comuns, Mackinlay agradeceu ao primeiro-ministro, Rishi Sunak, e a Hoyle por o terem visitado enquanto esteve no hospital. 

Referindo-se ao casaco preto cerimonial do Presidente da Câmara, brincou que "o resto do hospital pensou que eu devia estar terrivelmente doente" porque parecia um funcionário da agência funerária.

Mackinlay quer usar a sua experiência pessoal para fazer campanha para uma maior sensibilização para os sintomas da septicemia, também designada por sépsis, e para que serviço de saúde público britânico, que o tratou e lhe salvou a vida, ofereça melhores tratamentos e próteses às pessoas que perderam mais do que um membro.

O deputado pediu a Sunak que assegure que os serviços de saúde "incorporem o reconhecimento dos primeiros sinais de sépsis" e garantam a "disponibilização de próteses adequadas".

"Se conseguirmos impedir que alguém acabe assim, diria que é um trabalho bem feito", afirmou Mackinlay, com a mulher e a filha de quatro anos de Mackinlay assistir da galeria pública. 

O deputado contou ao jornal Daily Telegraph que foi levado para o hospital a 28 de setembro, depois de se ter sentido mal, e que ficou "azul" à medida que a sépsis provocava coágulos que impediam a chegada do sangue aos seus membros.

A sépsis é uma reação potencialmente fatal a uma infeção generalizada que ocorre quando o sistema imunitário reage de forma exagerada e começa a danificar os tecidos e órgãos do corpo.

Ao entrar em choque sético, Mackinlay foi colocado em coma induzido e a mulher foi informada de que ele tinha 05% de hipóteses de sobreviver.

Quando acordou, passados 16 dias, os membros tinham ficado pretos e estavam duros "como plástico". As suas mãos e pés ficaram "desidratados, tensos e secos", descreveu ao jornal.

No dia 01 de dezembro, as mãos e pés foram amputados.

"Conseguiram salvar acima dos cotovelos e acima dos joelhos. Por isso, pode dizer-se que tenho sorte" disse à BBC.

Mackinlay, que representa a circunscrição eleitoral de South Thanet, no sudeste da Inglaterra, adiantou que pretende concorrer à reeleição nas eleições previstas para o final do ano.

"Não tenho tido muitos motivos para estar alegre, mas esta é a minha natureza. Não há muito que se possa fazer, por isso não vale a pena ficar transtornado", declarou ao jornal Daily Telegraph.

Leia Também: Sánchez espera "acordos importantes sobre Gibraltar" nas próximas semanas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório