Meteorologia

  • 12 JUNHO 2024
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 23º

Pelo menos seis combatentes de grupos pró-iranianos morreram na Síria

Pelo menos seis combatentes de grupos pró-iranianos foram mortos hoje em ataques atribuídos a Israel nas suas posições no centro da Síria, anunciou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Pelo menos seis combatentes de grupos pró-iranianos morreram na Síria
Notícias ao Minuto

13:32 - 20/05/24 por Lusa

Mundo Síria

Segundo esta organização não-governamental (ONG), sediada no Reino Unido mas que conta com uma grande rede de fontes na Síria, "um dos ataques israelitas teve como alvo uma posição do Hezbollah libanês" na região de Qoussair, perto da fronteira com o Líbano.

"Seis combatentes pró-iranianos foram mortos", acrescentou o OSDH, sem especificar a nacionalidade ou filiação das vítimas.

No entanto, de acordo com informações avançadas por uma fonte da organização fundamentalista islâmica xiita Hezbollah à agência de notícias francesa AFP, "um combatente [do Hezbollah] foi morto e outro ficou ferido no ataque a Qussair".

A organização xiita, que apoia militarmente o regime sírio, tem uma forte presença nesta região.

Outro dos ataques teve como alvo posições de grupos pró-iranianos no sul da cidade de Homs, referiu o OSDH, sem relatar quaisquer vítimas.

O exército israelita realizou centenas de ataques na Síria desde a eclosão da guerra civil no país em 2011, visando principalmente posições militares e combatentes pró-iranianos.

Os ataques intensificaram-se desde o início da guerra entre Israel e o grupo islamita palestiniano Hamas, em 07 de outubro, na Faixa de Gaza.

O Hezbollah, por sua vez, realiza ataques contra Israel a partir do sul do Líbano para apoiar o seu aliado palestiniano.

No sábado, um drone israelita teve como alvo um veículo onde viajavam membros do Hezbollah, na fronteira entre o Líbano e a Síria, mas todos escaparam ilesos, adiantou o observatório.

Israel raramente comenta os ataques que realiza na Síria, mas repete regularmente que não permitirá que o seu "inimigo jurado", o Irão, aumente a sua presença neste país.

Leia Também: Chipre anuncia apoio de mais países da UE para repatriamento de sírios

Recomendados para si

;
Campo obrigatório