Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 25º

"Tragédia". Paquistão, Venezuela, Índia e Iraque lamentam morte de Raisi

O Paquistão declarou hoje um dia de luto devido à morte do Presidente do Irão, Ebrahim Raisi, e do ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hossein Amir-Abdollahian, na queda de um helicóptero no noroeste do país.

"Tragédia". Paquistão, Venezuela, Índia e Iraque lamentam morte de Raisi
Notícias ao Minuto

08:17 - 20/05/24 por Lusa

Mundo Ebrahim Raisi

Também os chefes de Estado da Venezuela, da Índia e do Iraque transmitiram a Teerão condolências pelo acidente de domingo.

"O Paquistão vai observar um dia de luto e a bandeira estará a meio haste" em "solidariedade com o Irão", um país irmão, escreveu o primeiro-ministro paquistanês, Shehbaz Sharif, na rede social X (antigo Twitter).

"O povo iraniano vai superar esta tragédia com a coragem habitual", garantiu Sharif, que recebeu Raisi com honras de Estado, no final de abril, na capital do Paquistão, Islamabad.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse na rede social X estar "chocado com as duras notícias" sobre a morte de Raisi, que descreveu como "uma pessoa exemplar, um líder extraordinário do mundo (...) e defensor da soberania do seu povo".

Maduro transmitiu as suas condolências ao Líder Supremo" do Irão, o 'ayatollah' Ali Khamenei, a quem desejou "consolo divino por perdas tão sensíveis".

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, expressou tristeza pela "morte trágica" de Raisi e acrescentou que "sempre se recordará" da contribuição do Presidente do Irão para o reforço das relações bilaterais dos dois países.

Também o primeiro-ministro do Iraque, Mohamed Shia al Sudani, disse ter recebido "com grande tristeza e pesar" a confirmação do acidente e expressou solidariedade tanto com Khamenei como com o povo iraniano após "esta dolorosa tragédia".

O helicóptero que transportava Raisi e Amir-Abdollahian foi localizado hoje numa montanha no noroeste do Irão, sem quaisquer sobreviventes, confirmaram as autoridades.

O aparelho despenhou-se na zona de Kalibar e Warzghan, na província do Azerbaijão Oriental, no noroeste do país.

O acidente deu-se no domingo, quando a comitiva regressava da fronteira com o Azerbaijão, onde Raisi inaugurou uma barragem com o seu homólogo azeri, Ilham Aliyev.

O Governo do Irão garantiu que o desastre não irá causar "qualquer perturbação na administração" do país.

"O Presidente do povo iraniano, trabalhador e incansável, (...) sacrificou a sua vida pela nação", disse o executivo de Teerão, num comunicado após a primeira reunião desde o acidente.

"Garantimos à nossa nação leal, grata e amada que, com a ajuda de Deus e o apoio do povo, não haverá a menor perturbação na administração do país", acrescentou o Governo do Irão.

O Governo não forneceu detalhes sobre os planos de sucessão, mas a reunião de hoje já foi presidida pelo possível substituto de Raisi, o atual primeiro vice-presidente, Mohammad Mokhber.

O Governo irá realizar ainda hoje uma "reunião de emergência", disse a agência de notícias oficial iraniana Irna, sem revelar detalhes sobre a agenda do encontro.

Leia Também: Recuperado corpo de Raisi e restantes vítimas no Irão. Operação concluída

Recomendados para si

;
Campo obrigatório