Meteorologia

  • 17 JUNHO 2024
Tempo
18º
MIN 15º MÁX 22º

Inundações em região norte do Afeganistão provocam 66 mortos

"Fortes chuvas ocorridas no sábado à noite em muitos distritos "mataram 66 pessoas em Faryab", disse Asmatullah Muradi.

Inundações em região norte do Afeganistão provocam 66 mortos
Notícias ao Minuto

13:12 - 19/05/24 por Lusa

Mundo Afeganistão

Fortes chuvas ocorridas no sábado à noite em muitos distritos "mataram 66 pessoas em Faryab", disse Asmatullah Muradi num víeo publicado no WhatsApp.

"Cinco pessoas ficaram feridas, oito estão desaparecidas e mais de 1.500 casas foram danificadas", acrescentou.

Na província de Ghor, no oeste do país, fortes chuvas na sexta-feira mataram 55 pessoas, de acordo com um balanço oficial provisório, enquanto mais de 3.000 casas foram destruídas.

Por seu turno, a província de Baghlan, no norte do país, foi atingida por inundações devastadoras em 10 de maio, que mataram pelo menos 300 pessoas e deixaram muitas outras desaparecidas.

As agências das Nações Unidas e o governo talibã indicaram que o número de mortos é suscetível de aumentar, mas não forneceram quaisquer novos números durante uma semana.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) explicou que o mau funcionamento da Internet estava ainda a impedir que se conhecesse a verdadeira situação da tragédia em algumas aldeias muito isoladas.

"As organizações humanitárias continuam a enfrentar grandes problemas de acesso nas zonas afetadas devido aos danos generalizados nas infraestruturas, nomeadamente nas estradas e pontes", declarou a OMS.

Isto aplica-se a todas as províncias deste país, que é um dos mais pobres do mundo, e onde os esforços de emergência e socorro estão a sofrer de uma enorme falta de recursos financeiros.

O Afeganistão, um país muito exposto às alterações climáticas, está a viver uma primavera invulgarmente chuvosa, após um inverno excecionalmente seco.

"Com estes padrões climáticos erráticos, tem havido uma catástrofe atrás da outra, mergulhando os aldeões na pobreza extrema", alertou Timothy Anderson, responsável pelo Programa Alimentar Mundial (PAM) no Afeganistão, na passada terça-feira.

Cerca de 80% dos 40 milhões de habitantes do Afeganistão dependem da agricultura para a sua sobrevivência e as chuvas atuais submergiram grandes áreas de terra e destruíram muitas culturas.

Leia Também: Um homem, uma mãe e filha. As vítimas espanholas do ataque no Afeganistão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório