Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 25º

Filho de destacado ativista conservador condenado por ataque ao Capitólio

Um filho de um destacado ativista conservador foi sentenciado hoje a quase quatro anos de prisão, pelo que os procuradores consideraram um assalto "incessante" ao edifício do Congresso dos EUA, em 2021.

Filho de destacado ativista conservador condenado por ataque ao Capitólio
Notícias ao Minuto

23:30 - 17/05/24 por Lusa

Mundo EUA

Leo Brent Bozell IV, de 44 anos, natural de Palmyra, no Estado da Pensilvânia,foi um dos primeiros amotinados a entrar no Capitólio e um dos primeiros a chegar à sala do Senado, durante o ataque ocorrido em 06 de Janeiro de 2021.

No seu percurso, partiu os vidros de uma janela, atacou um agente da polícia e invadiu o Senado.

O pai de Bozell, L. Brent Bozell III, fundou o Media Research Center, o Parents Television Council e outras organizações conservadoras da área da comunicação social.

O jovem Bozell apresentou desculpas a dois polícias do Capitólio presentes na sala de audiências, antes de o juiz John Bates o sentenciar a três anos e nove meses de prisão.

Os procuradores pretendiam uma condenação de 11 anos e oito meses. Para tal, argumentaram que o acusado realizou "ataques sucessivos e prolongados" aos agentes da polícia, após se juntar ou liderar outros amotinados no ataque às linhas policiais em várias localizações dentro e fora do Capitólio.

Bozell foi detido em fevereiro de 2021.

Bates liderou o julgamento, sem júri, antes de considerar Bozell culpado de 10 acusações, incluindo a de obstrução à sessão conjunta do Congresso para certificar a vitória eleitoral de Joe Biden nas eleições presidenciais de 2020.

Depois do comício pró-Trump, designado "Parem o Roubo" - argumento que o então presidente usou várias vezes, alegando que tinha perdido as eleições para Biden porque tinha sido roubado --, próximo da Casa Branca em 06 de janeiro, Bozell encaminhou-se para o Capitólio e juntou-se a uma multidão que penetrou os cordões policiais.

Um dos locais onde esteve foi no gabinete da então presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, de onde foi visto a sair com um objeto não identificado.

Ao longo de uma hora, Bozell circulou pelas instalações do Congresso, onde fez destruições várias, e passou pelo menos por ste barreiras policiais, antes de ter os polícias o terem conseguido expulsar, detalharam os procuradores.

Estes tinham reclamado uma acusação de terrorismo, o que teria aumentado de forma significativa a pena. Mas o juiz recusou, considerando que a acusação "não faz muito sentido neste caso".

Até agora, mais de 1.350 pessoas foram acusadas de crimes federais relacionadas com o ataque ao Capitólio. Destas, cerca de 850 já foram sentenciadas, das quais dois terços a prisão, com penas que vão de alguns dias a 22 anos.

Leia Também: Capitólio. 'Não' a pretensão de Trump de adiar processos ligados a ataque

Recomendados para si

;
Campo obrigatório