Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
34º
MIN 18º MÁX 37º

Putin descreve ofensiva em Kharkiv como resposta a ataques ucranianos

O presidente da Rússia descreveu hoje a ofensiva no nordeste da Ucrânia como uma resposta aos ataques ucranianos em território russo e afirmou que Moscovo não tenciona "de momento" conquistar a cidade de Kharkiv.

Putin descreve ofensiva em Kharkiv como resposta a ataques ucranianos
Notícias ao Minuto

12:30 - 17/05/24 por Lusa

Mundo Ucrânia

"Tinha dito publicamente que, se isto continuasse, seríamos obrigados a criar uma zona de segurança, uma zona sanitária. É isso que estamos a fazer", declarou em Harbin, China, citado pela agência francesa AFP.

A região de Kharkiv situa-se na fronteira entre a Ucrânia e a Rússia.

A capital da região, Kharkiv, é a segunda maior cidade da Ucrânia, com mais de 1,4 milhões de habitantes antes da guerra desencadeada com a invasão russa de fevereiro de 2022.

"No que diz respeito a Kharkiv, até à data não existem tais planos", disse Putin em resposta a uma pergunta sobre se a Rússia tenciona tomar a cidade ucraniana.

Putin responsabilizou Kiev pela ofensiva que as tropas russas lançaram na semana passada e que lhes permitiu tomar numerosas cidades a norte de Kharkiv.

"A culpa também é deles, que atacam e continuam, infelizmente, a atacar zonas povoadas nos territórios fronteiriços da Rússia", afirmou, segundo a agência espanhola EFE.

Em particular, denunciou que a artilharia ucraniana está a atingir zonas residenciais no centro da cidade de Belgorod, a mais visada desde o início da guerra russa contra a Ucrânia.

"Os civis vivem lá. Tudo é óbvio. Estão a disparar contra o centro da cidade, contra as zonas residenciais", afirmou Putin na cidade de Harbin, no nordeste da China, no final da visita ao país.

Por essa razão, as tropas russas estão a tentar criar "uma zona sanitária" para proteger as regiões fronteiriças da Rússia, insistiu o Presidente russo.

"É isso que estamos a fazer. Todos os dias [as tropas russas] estão a avançar como planeado", acrescentou.

Cerca de 20 pessoas foram mortas no domingo, num ataque a um edifício residencial na cidade russa de Belgorod.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, reconheceu que a situação em Kharkiv era muito complicada, mas disse que Kiev não se podia dar ao luxo de perder a cidade para o inimigo russo.

O chefe do exército ucraniano, Oleksandr Sirski, reconheceu hoje que a ofensiva russa alargou a frente de guerra em mais 70 quilómetros.

"Eles não conseguiram romper as nossas defesas", disse Sirski, que avisou, no entanto, que "combates pesados" iriam continuar na nova frente.

O Instituto para o Estudo da Guerra (ISW), com sede em Washington, calculou em oito quilómetros a distância a que a Rússia conseguiu penetrar no território ucraniano com a ofensiva na região de Kharkiv.

Leia Também: Ucrânia. Putin agradece a Xi iniciativas para "resolver" conflito

Recomendados para si

;
Campo obrigatório