Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 22º

Jornalistas expulsos e agressões à porta do congresso da Renamo

Jornalistas que cobrem o sétimo congresso da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo, maior partido da oposição) foram hoje expulsos por elementos do partido do recinto do evento e à entrada registaram-se agressões entre apoiantes.

Jornalistas expulsos e agressões à porta do congresso da Renamo
Notícias ao Minuto

16:51 - 16/05/24 por Lusa

Mundo Moçambique

De acordo com imagens transmitidas em direto pelos órgãos de comunicação social a partir de Alto Molócue, província da Zambézia, onde decorre o congresso, os jornalistas foram retirados do local, entre ameaças visíveis de elementos da organização, para o exterior do perímetro, que por sua vez é guardado por um forte dispositivo policial.

Os jornalistas acompanhavam a entrada no congresso - que vai escolher hoje o presidente do partido - de Manuel de Araújo, autarca de Quelimane, Zambézia, membro da comissão política e um dos mais populares membros da Renamo, que teve dificuldades para passar pelo cordão policial.

"A polícia fez um juramento de respeitar a Constituição da República e eles devem saber respeitar a Constituição da República. Nenhum elemento da polícia tem o direito de encostar num membro de um partido, neste caso um congressista. Eu sou um congressista, eu tenho o direito a estar lá na sala. Ou não fizeram o trabalho de casa ou têm outras tarefas. Tenho muita pena, é uma vergonha", disse Manuel de Araújo, depois de passar pelo cordão policial.

À entrada do recinto do congresso registaram-se tumultos e agressões, por parte de elementos da organização do congresso e alegadamente pessoas que acompanhavam Manuel de Araújo, para travar a passagem daqueles, como foi possível verificar nas imagens em direto.

As ameaças e expulsões dos jornalistas acreditados para o evento seguiram-se à tentativa de confirmar a entrada de Manuel de Araújo na tenda do congresso, cerca das 16:30 locais (15:30 em Lisboa).

Algumas fontes indicam que este reforço na segurança da Renamo prende-se com receios de uma possível tentativa de entrada no espaço de apoiantes do deputado Venâncio Mondlane, que apresentou a sua candidatura à liderança do partido, a qual foi rejeitada.

Para este congresso estão previstos 700 congressistas e cerca de 300 convidados.

Ossufo Momade é o atual presidente da Renamo e disputa a eleição, neste congresso, com Elias Dhlakama, irmão do líder histórico do partido (Afonso Dhlakama), Ivone Soares, deputada e antiga chefe de bancada parlamentar, André Magibire, antigo secretário-geral, Anselmo Vitor, chefe do departamento de formação, e Alfredo Magumisse, membro da comissão política.

Juliano Picardo, presidente do conselho provincial de Tete, Pedro Murema, vogal do conselho provincial da cidade de Maputo e Hermínio Morais, membro da comissão política, também estão na lista de candidatos à liderança da Renamo.

Moçambique realiza em 09 de outubro eleições gerais, incluindo presidenciais, às quais já não pode concorrer o atual Presidente, Filipe Nyusi, por ter atingido o limite constitucional de dois mandatos.

Após a eleição do presidente, a Renamo terá de clarificar qual o candidato que vai apoiar ao cargo de Presidente da República nas eleições de outubro, que, por norma, é o líder do partido.

Leia Também: Presidente da Renamo considera número de candidatos sinal de democracia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório