Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 22º

Moldova recorre à justiça para tentar proibir partido pró-russo

O Governo da Moldova recorreu hoje aos tribunais para que proíbam temporariamente o partido pró-russo Chance por suspeitas de vínculos com a formação Shor, apontada pelas suas ligações ao Kremlin (presidência russa) e já ilegalizada.

Moldova recorre à justiça para tentar proibir partido pró-russo
Notícias ao Minuto

18:27 - 15/05/24 por Lusa

Mundo Moldova

"O Ministério da Justiça apresentou perante o tribunal de Chisinau uma solicitação para aplicar a cláusula da lei de partidos políticos relativa à restrição das atividades do partido Chance por um prazo de seis meses", referiu uma nota oficial.

A ministra da Justiça, Veronica Mihailov-Moraru, tinha advertido o Chance de que enfrentaria sanções caso não apresentasse um relatório sobre as suas despesas durante a campanha das eleições municipais de novembro.

As autoridades excluíram o Chance dois dias antes dessa votação.

Este partido foi fundado após a dissolução do Shor, justificada na ocasião por "motivos de segurança nacional" e numa alusão às acusações de ingerência da Rússia na Moldova.

O chefe dos Serviços de Informações e Segurança (SIS) da Moldova, Alexandru Musteata, denunciou na altura "atividades para influir nos processos eleitorais com o objetivo de promover os interesses do Estado estrangeiro, Rússia, através do grupo criminal organizado liderado por Ilan Shor", oligarca moldavo fugitivo, condenado à revelia por Chisinau por fraude e atualmente a residir em Israel.

Em meados de abril, a oposição moldava pró-russa, incluindo o Chance, promoveu um congresso extraordinário em Moscovo onde anunciou a formação de um bloco eleitoral na perspetiva das próximas eleições presidenciais de 20 de outubro, que coincide com um referendo sobre o ingresso na União Europeia (UE).

Ilan Shor, condenado a 15 anos de prisão por roubo em 2014 de mil milhões de dólares (cerca de 925 milhões de euros, ao câmbio atual) do sistema bancário moldavo e lavagem de dinheiro -- acusações que sempre negou --, presidiu ao congresso e apresentou-se como o líder deste bloco eleitoral.

O Shor e o Chance opõem-se à integração da Moldova na UE e defendem o reforço das relações políticas e comerciais com a Rússia.

Nos últimos anos, o Governo moldavo tem-se focalizado no combate à influência russa na política e na sociedade do país balcânico, em particular através da proibição do partido Shor e na restrição dos "media" considerados próximos do Kremlin.

Com cerca de 2,5 milhões de habitantes, a Moldova situa-se entre a Roménia e a Ucrânia.

A região separatista moldava da Transnístria ganhou destaque após o início da guerra na Ucrânia devido aos laços com a Rússia e à sua importante posição geoestratégica.

Kiev chegou mesmo a denunciar alegadas incursões russas na Ucrânia ocidental a partir da região separatista.

A Rússia mantém um contingente de 1.500 soldados na Transnístria, cujos separatistas pró-Moscovo controlam o território desde a guerra civil na Moldova, em 1992.

Leia Também: Bruxelas prolonga regras autónomas de comércio com Moldova e Ucrânia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório