Meteorologia

  • 27 MAIO 2024
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 22º

Ajuda dos EUA a Kyiv sem impacto "no campo de batalha", diz Moscovo

A Rússia desvalorizou hoje a nova ajuda concedida pelos Estados Unidos à Ucrânia, afirmando que nada será alterado no campo de batalha e que as tropas de Kiev serão derrotadas.

Ajuda dos EUA a Kyiv sem impacto "no campo de batalha", diz Moscovo
Notícias ao Minuto

11:35 - 21/04/24 por Lusa

Mundo Ucrânia

O pacote de ajuda, de 61 mil milhões de dólares (57,2 mil milhões de euros, ao câmbio atual), foi aprovado no sábado pela Câmara dos Representantes após meses de impasse devido à oposição republicana.

"Isso não vai alterar a situação no campo de batalha. O regime criminoso de Kyiv será derrotado", considerou o presidente da Duma, a câmara baixa da Assembleia Federal, Vyacheslav Volodin, citado pela agência espanhola EFE.

Volodin disse que, com a decisão, "os Estados Unidos, estão a forçar a Ucrânia a lutar até ao último ucraniano".

Referiu também que a decisão será desastrosa para a economia da Ucrânia, que ficará privada de um futuro.

Segundo Volodin, a maior parte do dinheiro do pacote de ajuda será utilizado pelos próprios norte-americanos para "reabastecer os arsenais dos Estados Unidos" (23 mil milhões) e para "operações militares na região" (11,3 mil milhões).

"O próprio [Presidente dos EUA, Joe] Biden não esconde o facto de que os fundos atribuídos serão recebidos principalmente por empresas norte-americanas", afirmou.

Volodin disse que o mais importante é que "mesmo o dinheiro que vai para Kyiv terá de ser devolvido".

Considerou, por isso, que a ajuda é "uma parte de leão de uma dívida" de que os ucranianos não conseguirão escapar.

A reação em Kyiv foi a oposta, com o Presidente Volodymyr Zelensky a afirmar que a nova ajuda "salvará milhares e milhares de vidas".

A Ucrânia tem criticado os aliados ocidentais por hesitações e atrasos no fornecimento de armamento, que terão permitido à Rússia lançar uma nova ofensiva nas últimas semanas.

Kyiv realizou uma contraofensiva no verão passado, mas com resultados modestos, que atribuiu à falta de meios.

Além do fornecimento de armamento, os aliados de Kyiv têm também imposto sanções a interesses de Moscovo para tentar diminuir a capacidade russa de financiar o esforço de guerra na Ucrânia.

A guerra, iniciada com a invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro de 2022, provocou um número de vítimas ainda por contabilizar e a destruição de cidades e infraestruturas do país.

Leia Também: "Perigoso"? Ucrânia, Israel e Taiwan com ajuda milionária dos EUA

Recomendados para si

;
Campo obrigatório