Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
20º
MIN 12º MÁX 21º

EAU realizam grande operação de ajuda a Khan Younis em Gaza

Os Emirados Árabes Unidos anunciaram sexta-feira o lançamento de uma grande operação para entrega de ajuda humanitária a Khan Younis, cidade no sul de Gaza e epicentro de meses de combates entre Israel e o movimento islamita palestiniano Hamas.

EAU realizam grande operação de ajuda a Khan Younis em Gaza
Notícias ao Minuto

06:17 - 20/04/24 por Lusa

Mundo Médio Oriente

Em comunicado divulgado pela agência oficial de notícias WAM, os Emirados afirmam ser o primeiro país estrangeiro a prestar ajuda a esta cidade para onde os residentes começaram a regressar, após a retirada das tropas israelitas no início de abril, no final de vários meses de fortes combates.

No âmbito de uma vasta operação humanitária, "uma equipa de voluntários dirigiu-se a Khan Younis onde prestou a ajuda necessária às famílias palestinianas com o apoio dos Emirados Árabes Unidos", frisou a agência.

"Os Emirados Árabes Unidos são o primeiro país a chegar à cidade de Khan Younis (...) para entregar milhares de cestas básicas, alimentos e pão", acrescentou.

Desde a retirada do Exército israelita, milhares de pessoas deslocadas regressaram gradualmente às suas casas.

"Os Emirados Árabes Unidos pretendem reabilitar o complexo médico Nasser, na cidade de Khan Younis, para que possa retomar as suas atividades", noticiou ainda a WAM, lembrando que os "serviços, equipamentos hospitalares e pessoal médico deixaram de funcionar", devido aos combates.

Em 07 de outubro do ano passado, combatentes do Hamas realizaram em território israelita um ataque de proporções sem precedentes, fazendo 1.163 mortos, na maioria civis, e 250 reféns, cerca de 130 dos quais permanecem em cativeiro e 34 terão entretanto morrido, segundo as autoridades israelitas.

Em retaliação, Israel declarou uma guerra para "erradicar" o Hamas, que começou por cortes ao abastecimento de comida, água, eletricidade e combustível na Faixa de Gaza e bombardeamentos diários, seguidos de uma ofensiva terrestre ao norte do território, que depois se estendeu ao sul.

O conflito fez também quase dois milhões de deslocados, mergulhando o enclave palestiniano sobrepovoado e pobre numa grave crise humanitária, com mais de 1,1 milhões de pessoas numa "situação de fome catastrófica" que já está a fazer vítimas - "o número mais elevado alguma vez registado" pela ONU em estudos sobre segurança alimentar no mundo.

Leia Também: Hamas diz que mortos na Faixa de Gaza ultrapassam 34 mil

Recomendados para si

;
Campo obrigatório