Meteorologia

  • 20 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Suspeito de ordenar ataque a aliado de Navalny detido na Polónia

Ao início do dia, as autoridades da Lituânia já tinham dado conta da detenção de dois cidadãos polacos.

Suspeito de ordenar ataque a aliado de Navalny detido na Polónia
Notícias ao Minuto

17:33 - 19/04/24 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Navalny

Um cidadão bielorrusso foi detido na Polónia sob suspeita de ter ordenado o ataque ao líder da oposição russa e aliado de Alexei Navalny, Leonid Volkov, em nome de Moscovo, segundo anunciou o primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, esta sexta-feira. Antes, dois cidadãos polacos já tinham sido detidos.

"Um bielorrusso a trabalhar para os russos que ordenaram que dois polacos assassinassem o aliado de Navalny – detido. Os atacantes também estão detidos", escreveu o chefe do Governo, na rede social X (Twitter).

Ao início do dia, as autoridades da Lituânia já tinham dado conta da detenção de dois cidadãos polacos suspeitos de terem levado a cabo o ataque, que ocorreu a 12 de março, à porta de casa de Volkov, em Vílnius, onde está exilado.

"Duas pessoas foram detidas na Polónia por suspeita de terem agredido o líder da oposição russa Leonid Volkov", disse o presidente da Lituânia, Gitanas Nauseda, citado pela agência norte-americana AP.

E acrescentou: "Agradeço à República da Polónia pelo excelente trabalho que realizou. Discuti o assunto com o presidente polaco [Andrzej Duda] e agradeci a sua excelente cooperação".

Volkov, por seu turno, teceu agradecimentos ao chefe de Estado e às autoridades lituanas através da rede social X (Twitter), tendo salientado ser "de grande importância investigar e expor toda a cadeia de comando, desde [Vladimir] Putin até ao tipo com o martelo".

Recorde-se que um agressor partiu uma das janelas do carro que Volkov conduzia, atirou-lhe gás lacrimogéneo para os olhos e bateu-lhe com um martelo, disse a polícia na altura. O homem, que sofreu uma fratura no braço e foi hospitalizado, acusou o presidente russo de ter ordenado o ataque e prometeu continuar o trabalho na oposição.

O incidente ocorreu quase um mês após a morte inexplicada de Navalny, que estava detido numa remota colónia penal do Ártico.

Navalny, que morreu com 47 anos, era a figura da oposição mais conhecida da Rússia e o crítico mais feroz de Putin, no poder há 24 anos. Estava detido desde janeiro de 2021 e cumpria uma pena de 19 anos de prisão sob a acusação de extremismo, amplamente considerada como tendo motivações políticas.

A viúva de Navalny, Yulia Navalnaya, prometeu continuar o trabalho do marido, ainda que tenha confessado que o ataque a Volkov a levou a contratar um guarda-costas.

Volkov era o responsável pelos escritórios regionais e pelas campanhas eleitorais de Navalny, que se candidatou a presidente da câmara de Moscovo em 2013, e tentou desafiar Putin nas presidenciais de 2018.

Leia Também: Detidos na Polónia 2 suspeitos de ataque a aliado de Navalny na Lituânia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório