Meteorologia

  • 26 MAIO 2024
Tempo
22º
MIN 14º MÁX 23º

Ucrânia. Coordenadora humanitária da ONU condena ataques russos

A coordenadora humanitária para a Ucrânia das Nações Unidas, Denise Brown, condenou hoje os ataques da Rússia à cidade de Dnipro e outras partes da região, "trazendo novo sofrimento ao povo da Ucrânia".

Ucrânia. Coordenadora humanitária da ONU condena ataques russos
Notícias ao Minuto

15:14 - 19/04/24 por Lusa

Mundo Ucrânia

Em comunicado, a responsável condenou os ataques desta manhã, que danificaram casas, "matando e ferindo dezenas de pessoas", dois dias depois de um "ataque mortífero na cidade de Chernihiv, no norte do país, e, mais uma vez, há informações de que há crianças entre os mortos".

A mesma fonte informou que equipas de apoio humanitário estão no terreno para ajudar as pessoas afetadas.

"Os ataques são mais um exemplo de um grave e reprovável desrespeito pela vida humana. O Direito Internacional Humanitário protege os civis e as infraestruturas civis", concluiu.

Pelo menos oito pessoas morreram hoje em Dnipropetrovsk, no sul da Ucrânia, quando a Rússia atacou a região com vários mísseis, anunciou fonte militar ucraniana.

"Oito pessoas foram mortas, incluindo duas crianças pequenas", escreveu o chefe da administração militar ucraniana na zona, Serguii Lisak, na plataforma de mensagens Telegram, calculando pelo menos 25 feridos.

Um balanço anterior das autoridades dava conta de pelo menos um morto e nove feridos.

Parte dos mísseis russos aterraram na capital regional de Dnipro, onde atingiram um edifício de cinco andares, provocando vítimas mortais.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, condenou o ataque e referiu danos na estação de comboios de Dnipro, cidade com cerca de um milhão de habitantes perto da linha da frente.

"Temos de derrotar o terror russo", escreveu Zelensky no Telegram, pedindo novamente aos aliados que enviem mais sistemas de defesa aérea para poderem abater "todos os mísseis e todos os [drones] Shahed" usados por Moscovo.

Leia Também: "Donald Trump, não se sinta intimidado por Putin. Nós não nos sentimos"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório