Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 25º

Agricultores polacos voltam a bloquear entrada de mercadorias ucranianos

Os agricultores polacos voltaram hoje a sair às ruas para protestar ao longo da fronteira com a Ucrânia contra a decisão da Comissão Europeia de eliminar os direitos aduaneiros sobre as mercadorias ucranianas no âmbito da invasão russa.

Agricultores polacos voltam a bloquear entrada de mercadorias ucranianos
Notícias ao Minuto

12:16 - 18/04/24 por Lusa

Mundo Camiões

Várias passagens de fronteira, especialmente em Medika e Korczowa, foram bloqueadas para expressar o descontentamento com a situação, pelo que, desde as 08h00 locais (07h00 em Lisboa) apenas foi permitida a passagem de um camião proveniente da Ucrânia por hora.

Os agricultores alegam não ter havido qualquer progresso na situação, apesar de, em março, o primeiro-ministro, Donald Tusk, ter prometido que iria impor limitações ao fornecimento de produtos agrícolas provenientes da Ucrânia e estabelecer uma série de pagamentos adicionais ao setor.

A entrada de alimentos ucranianos no espaço da União Europeia (UE), especialmente de cereais, através da Polónia, provocou a pior crise bilateral entre Varsóvia e Kiev desde o início da guerra, com os agricultores polacos a bloquearem a entrada de camiões ucranianos nas fronteiras.

Tusk propôs à UE a imposição de uma taxa de 50% sobre os produtos agroalimentares russos e bielorrussos, mas os agricultores polacos garantem não ter havido mudanças ainda.

A Polónia tem estado entre os maiores apoiantes da Ucrânia desde o início da ofensiva militar russa, em fevereiro de 2022, mas as facilidades concedidas pela UE ao setor agrícola do país em guerra irritaram os agricultores polacos, que têm realizado vários bloqueios e manifestações.

A Ucrânia viu o seu setor agrícola e as principais rotas de exportação através do Mar Negro paralisados pela invasão russa.

Para ajudar Kiev no campo económico, Bruxelas eliminou os direitos aduaneiros sobre as mercadorias ucranianas que transitavam pela UE em 2022.

No entanto, devido a problemas logísticos e fraudes, uma grande parte das exportações ucranianas destinadas a países terceiros permaneceram na Polónia, em detrimento dos bens dos produtores locais.

Em setembro, a Polónia prorrogou o embargo aos cereais ucranianos, desafiando Bruxelas, que já tinha anunciado o fim das restrições.

Desde fevereiro, os agricultores polacos têm protestado em todo o país, opondo-se às importações de produtos agrícolas da Ucrânia, mas também às medidas ambientais do bloco comunitário.

Os protestos deste setor seguiram o exemplo dos transportadores que, desde novembro, têm organizado uma série de greves e bloqueios para protestar contra a medida imposta pela União Europeia que permite aos motoristas ucranianos operar em território comunitário sem obterem previamente uma autorização especial para o fazer.

Leia Também: Ajuda à Ucrânia "não vai mudar nada" na frente de combate, diz Rússia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório